ritmo cardiaco

pratoni

Well-Known Member
#26
Subir dia sim dia não a Arrábida pode-se considerar um exagero, certo? :)
Sinceramente não acho que o seja...

Um desafio? sem dúvida!!
Exagero? nem por isso...

Assumindo que estamos a falar de fazer uma subida apenas...

Eu mesmo nas piores das formas consigo fazer (mal) a subida, desde que tenha mudanças suficientemente leves...
 
#28
OK. Pensava que davam mais voltas pelo circuito da Arrábida e que por isso faziam mais subidas.
Depende da volta, se subirem pelo solitario e seguirem para o convento já é uma volta bem puxadinha para se fazer mais que uma vez por semana, eu pessoalmente subia pela setima bateria em direção as antenas e depois era sempre a descer
 
#29
A Freq. cardíaca máxima tem a ver com a idade, a frequencia cardíaca de repouso tem a ver com genética e condição física.

O valor que tens atualmente pode ser melhorado. Se esse for o teu objetivo, podes e deves pedir ajuda a um personal trainer que te pode prescrever um plano de treino para melhorares a tua condição cardiovascular.

Ao teres uma frequencia cardíaca mais alta, seja em repouso, seja em esfoço, que os teus colegas, significa à partida, que te estás a esforçar mais que eles e significa também que tens uma menor capacidade cardiovascular, ou seja, o teu coração não é tão forte para enviar a quantidade de sangue necessário para aquele momento (em função do esforço que estás a fazer) e portanto ele tem que bater muito mais vezes (frequencia cardíaca mais elevada portanto).

É claro que, como já foi dito em posts anteriores, deves comparar isso de forma relativa, ou seja, em termos percentuais, pois um "jovem" de 70 anos pode estar com uma frequencia cardíaca de 140bpm e um miudo de 20 anos com 170bpm e o miudo devrá estar muito mais confortável do que o "jovem".

Espero ter ajudado a esclarecer esta questão da frequencia cardíaca e o que ela representa.
 

moshinho

Well-Known Member
#30
Penso que devo estar parado à cerca de 1 mês.
Sempre tive os rpm acima de todos os amigos de pedal.
Quando comecei a pedalar à ano e meio atrás, nem conseguia atingir os 160rpm/max que quase morria sem respirar.
A minha frequência cardíaca em repouso é de 53rpm.
Este Verão cheguei a atingir 202rpm/max com 33 anos.
E o normal em cada saída era atingir os 196rpm/max em qualquer subida que me esforçava mais um bocado.
Toda a gente terminava com 130rpm/méd e eu sempre com 150/160 e por vezes mais.
Olha...deixei de ligar a isso e foquei-me unicamente no prazer de pedalar unicamente.
Não é agora com 34 anos que me vou tornar num ciclista profissional :p
E a única coisa que me fez evoluir mais foi pedalar, sem qualquer tipo de preocupação.
Intervalar umas saídas nas calmas, com outras a puxar só nas subidas e claro, a voltinha de Domingo com a rapaziada...em que nem vale a pena olhar para o pulso e quase sem tempo para jogar a mão ao bidão de água.
Agora vou voltar a pedalar, depois deste tempo todo parado e vai ser normal, andar com o pulso alto e nem conseguir ter a prestação que tinha à 1 mês atrás.
Sei que irei precisar de várias semanas e meses novamente para recuperar.
Este ano estou a ponderar deixar a fita cardíaca em casa. :mad:
O que importa é o prazer de pedalar. ;)
 
#31
viva aqui fica a opinião de um mero forasyteiro que faz uma voltitas por ai com amigos :cool:

uma das coisas que ainda não foi aqui frizada,é o seguinte:uma coisa é irem dois amigos a rolar/trepar,com duas bikes,uma delas (avião 6/7kg),outra(portão 9/10kg)ambos com o mesmo peso,altura,idade, preparação.
outra coisa é irem dois amigos a rolar/trepar,com ambas as bikes(aviões),mesma altura peso idade preparação.....
aqui está alguma das diferenças.
outra é a genética.... eu que até faço poucos klm mas bons...,não me passa pela çabeça alguma vez acordar de manhã com o pulso com menos de 75/ 85bpm..... estes dias dei ai uma volteca coisa pouca e reparei que numnca o pulso baixava dos 165bpm,onde tenho a minha area de conforto,e no maximo vai aos 196bpm..... é obvio que quando se está parado a algum tempo já cheguei a ir aos 202bpm UMA LOUCURA...
NOTA:TENHO UMA BIKEZITA QUE PESA SÓ 10.2KLG :cool:
isto depende muito de variadissimos fatores,não posso deixar de dizer aqui que com isto tudo por vezes passo um mau bocado com o acido lactico.
um abraço e boas pedaladas
 
#32
Penso que devo estar parado à cerca de 1 mês.
Sempre tive os rpm acima de todos os amigos de pedal.
Quando comecei a pedalar à ano e meio atrás, nem conseguia atingir os 160rpm/max que quase morria sem respirar.
A minha frequência cardíaca em repouso é de 53rpm.
Este Verão cheguei a atingir 202rpm/max com 33 anos.
E o normal em cada saída era atingir os 196rpm/max em qualquer subida que me esforçava mais um bocado.
Toda a gente terminava com 130rpm/méd e eu sempre com 150/160 e por vezes mais.
Olha...deixei de ligar a isso e foquei-me unicamente no prazer de pedalar unicamente.
Não é agora com 34 anos que me vou tornar num ciclista profissional :p
E a única coisa que me fez evoluir mais foi pedalar, sem qualquer tipo de preocupação.
Intervalar umas saídas nas calmas, com outras a puxar só nas subidas e claro, a voltinha de Domingo com a rapaziada...em que nem vale a pena olhar para o pulso e quase sem tempo para jogar a mão ao bidão de água.
Agora vou voltar a pedalar, depois deste tempo todo parado e vai ser normal, andar com o pulso alto e nem conseguir ter a prestação que tinha à 1 mês atrás.
Sei que irei precisar de várias semanas e meses novamente para recuperar.
Este ano estou a ponderar deixar a fita cardíaca em casa. :mad:
O que importa é o prazer de pedalar. ;)
Na minha opinião, não deves fazer isso. Respeitar a Freq Cardiaca máxima é sempre importante e se não tiveres "treino" para ter uma percepção dessa frequência cardíaca, deves mesmo usar o cardiofrequencimetro e respeitar a Fcmax teórica.

Se não achares que ela representa realmente o nível de esforço a que estás submetido, ou quiseres fazer uma coisa mais rigorosa, podes sempre fazer um exame de esforço máximo para assim determinares com mais rigor a tua Freq Max (e já agora o comsumo de VO2max, se tiveres interesse).

Eu pessoalmente respeito muito as informações que o meu corpo me dá e neste caso, sempre que tenho dúvidas, dou uma espreitadela ao cardiofrequencimetro.
 

moshinho

Well-Known Member
#33
Perguntei por pm no facebook ao Dr. Benjamim Carvalho e a resposta dele foi a seguinte:

"Os batimentos cardíacos não tem muito a ver com o grau de forma e até quanto melhor estiver fisicamente mais dificilmente se atinge o pulso máximo.Na sua idade os bpm na generalidade são mamis baixos mas não é invulgar essa fcmaxima.É normal"

E estas palavras vindo que alguém que tem muita experiência no assunto, assumo-as como fidedignas.
 

mariosimas

Well-Known Member
#34
corroborando o que citaste, quando estou num bom momento de forma é muito dificil atingir bpm´s elevados para mim (acima dos 180). O máximo que registei foi 191 bpms.

são as adaptações fisiológicas ao treino :)
 

jocarreira

Well-Known Member
#35
Tendo em conta a afirmação de que quanto melhor estivermos fisicamente mais dificil é de atingir a frequência cardíaca máxima, como é que posso saber o valor máximo? (Sem ser pela vulgar fórmula da idade)
Também eu tenho uma frequência cardíaca média elevada (costuma andar à volta de 160/165bpm) e a máxima ronda os 180/185bpm. Sei que a minha frequência máxima é superior a 190bpm (para referência, tenho 27 anos) pois já atingi valores nessa ordem mas a última vez que passei dos 190bpm já foi em Setembro.
O que consigo perceber dos meus números é que a frequência cardíaca máxima é mais baixa mas a média é igual (comparando momentos de pior/melhor forma física).
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#36
Tendo em conta a afirmação de que quanto melhor estivermos fisicamente mais dificil é de atingir a frequência cardíaca máxima, como é que posso saber o valor máximo? (Sem ser pela vulgar fórmula da idade)
Também eu tenho uma frequência cardíaca média elevada (costuma andar à volta de 160/165bpm) e a máxima ronda os 180/185bpm. Sei que a minha frequência máxima é superior a 190bpm (para referência, tenho 27 anos) pois já atingi valores nessa ordem mas a última vez que passei dos 190bpm já foi em Setembro.
O que consigo perceber dos meus números é que a frequência cardíaca máxima é mais baixa mas a média é igual (comparando momentos de pior/melhor forma física).
Ainda este fim de semana fiz isso mesmo. Importantíssimo para sabermos as zonas que devemos andar. O teste é muito simples e já fora mencionado aqui.

- Aquecimento
- 5m a andar bem nos limites (para ajustar a FC que demora sempre algum tempo)
- 20m no máximo que puderes (o AVG destes 20m é a tua FC max).

Multiplicas por .97 e tens o limite da Z4
Z3 está entre os 75-85% desse valor
Z2 entre 65-75

salvo erro será assim.
 

mariosimas

Well-Known Member
#37
bom aquecimento como dizes uns sprints fortes seguidos de descanso depois tiras a média dos ultimos 20m de um exercicio de 30m all-out!!!!!!!!!!!!!!!!

Isto faz-se porque o coração demora algum tempo a chegar á "zona" que pretendemos.
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#38
No meu caso fiz 45minutos ritmo baixo. 5m a alta intensidade seguido dos 20m com prego no fundo. E depois mais 17m até chegar a casa.

Já li que se deve fazer num percurso mais plano possivel de maneira que consigas manter a pontencia durante todo o trajecto.
 

Carolina

Well-Known Member
#40
porquê tirar a média dos 20 minutos? pensei que a FC máxima fosse exactamente o que o nome indica: o máximo. não faria mais sentido que a FC máxima fosse a frequência máxima atingida durante esses 20 minutos a fundo?!