Treino

Bruso

Well-Known Member
#41
Hoje era mesmo um dos dias que me dava um jeitaço ter um potenciómetro...
Para quem conhece fiz pero pinheiro-igreja nova, cabeço montachique por lousa e subi de loures para caneças

F@#%:(@seeeee!!!! Estou aqui que nem posso... :/ já não levava uma tereia assim há muito tempo... Tenho que pedalar durante a semana...
Que diferença fazia um power meter? A longo prazo tens mais ganhos com essas tareias do que ir a olhar para o PM na tua zona de conforto.
 

NULL

Well-Known Member
#46
Acho que esta matéria já mais do que debatida. Eu acho que é uma mais valia ENORME. Quem não acha, está no seu direito.

E uma vez que falas no relógio... olha este cenário:

Dia 1 Jan faço uma volta tipo teste com uma subida de 10km a top que resultou em 250w de média e 40min de tempo.

A 1 de Abril faço a mesma volta, a mesma subida a top e o resultado foi 270w e 41min.

A minha pergunta é: Melhorei ou piorei?
 

bogas

Well-Known Member
#47
Acho que esta matéria já mais do que debatida. Eu acho que é uma mais valia ENORME. Quem não acha, está no seu direito.

E uma vez que falas no relógio... olha este cenário:

Dia 1 Jan faço uma volta tipo teste com uma subida de 10km a top que resultou em 250w de média e 40min de tempo.

A 1 de Abril faço a mesma volta, a mesma subida a top e o resultado foi 270w e 41min.

A minha pergunta é: Melhorei ou piorei?
Está tudo dito aqui.
Claramente o melhor foi a segunda, apesar de ter levado mais 1min. Basta haver um vento de contas para o primeiro cenário e com menor potência ter feito a subida mais rápido. E não só. Há sempre outros fatores.
A importância de ter potência está em conhecer os teus limites e poderes controlar melhor as tuas voltas. Falo por mim.
 
#50
Concordo que isto está mais que debatido.

Eu disse aquilo porque para mim foi uma sova bem grande, mas eu sei que não tenho o treino que tinha há anos atrás.

Se para mim tendo em conta as minhas características e modo de ver as coisas e etc, ter um potenciómetro seria uma mais valia?
-Apenas se fosse a provas e tivesse objetivos bem definidos, etc etc
Atualmente não.

Se eu tivesse dinheiro investiria num potenciómetro?
-Sem dúvida, nem que fosse para comparar valores de subidas de x em x tempo e ter sempre em vista a melhoria de performance.

Andar mais rápido não é necessariamente aquilo que ser quer.
É sim trabalhar melhor para andar mais rápido E chegar primeiro.
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#51
Acho que esta matéria já mais do que debatida. Eu acho que é uma mais valia ENORME. Quem não acha, está no seu direito.

E uma vez que falas no relógio... olha este cenário:

Dia 1 Jan faço uma volta tipo teste com uma subida de 10km a top que resultou em 250w de média e 40min de tempo.

A 1 de Abril faço a mesma volta, a mesma subida a top e o resultado foi 270w e 41min.

A minha pergunta é: Melhorei ou piorei?
Engordas-te? ;) brincadeira!
 

Bruso

Well-Known Member
#52
Engordas-te? ;) brincadeira!
Meteu pesos na bike ahaha

Nem eu nem o Guilherme desvalorizamos os PMs. Mas não faz sentido ter um PM só para voltas de fim de semana. Ao chegares a casa na próxima vez que fizeres essa volta, pensa como te sentias na 1a vez e como te sentes nesse dia. Qual é a diferença que te faz se são 200 ou 220W? Se pretendes ver evolução tens que treinar e te empenhar no desporto. Queres comparações, strava segments é mais que suficiente.
 
#55
O PM só vale a pena se quiseres evoluir. É uma ferramenta de treino.

Se é só para passear não vale a pena.
Lá está, e a parte sa evolução faz-se por comparação.

Well, eu penso que estamos todos de acordo e percebemos as ideias uns dos outros.
Só achei engraçado porque para mim foi uma tareia e e daqui a uns tempos pode ser mais acessível e como tal estarei mais apto a fazer o mesmo treino e era porreiro comparar os 2 níveis :)
 

Carolina

Well-Known Member
#56
Consegues perceber facilmente se estás a evoluir se fizeres os mesmos segmentos várias vezes por mês.

Eu vou imensas vezes a Monsanto fazer o mesmo circuito. Nem preciso de olhar para o PM para saber se estou melhor ou pior. A forma como me sinto a respirar e a dor de pernas em cada parte do circuito já me indica isso. Neste momento estou miserável, por exemplo LOLOL

Além disso passas a saber como deves abordar cada parte do percurso, onde podes descansar, onde tens de apertar, etc. Este ponto pode ser o suficiente para demorares menos tempo.

Sugiro que arranjes um percurso que possas fazer 1 ou 2 vezes por mês. Sempre que lá vais tentas dar o teu máximo. Ao fim de uns meses vais começar a perceber se estás a melhorar ou não.

De qualquer forma, sugiro que uses pelo menos a cadência ou frequência cardíaca. Não é um investimento alto e já te permite controlar minimamente o esforço.
 
#57
Concordo plenamente contigo @Carolina :)
Eu tenho o garmin, que por sua vez tenho q conta ligada ao strava. O resto, já todos sabemos como funciona. Koms, segmentos, pr's, estatísticas das tentativas dos segmentos, top 3 dos tempos, comparação com outro pessoal, etc etc.

E sim, basta uma pessoa conhecer o percurso e já consegue fazer uma gestão do esforço :) talvez tenha sido por isso que me custou mais... 1a vez, não conhecia o percurso... Se bem que me alimentei bem e não vou a abrir nas subidas :D sempre abaixo dos 50km/h para garantir que não há acidentes :D :D