Bike-fit

NULL

Moderador
Staff member
Mais uma prova de que um sistema 3D não é garantia de nada... É só uma ferramenta.

Na minha opinião o culpado não és tu, mas sim o técnico que te quis "obrigar" a algo que não era natural. O bikefit, no meu entender, deveria ter sido feito atendendo às tuas características, devia-te ser explicado o que fazer para teres uma pedalada melhor, e após o conseguires (treinar a técnica de pedalada leva muitos meses e há até quem não consiga), e só após o conseguires, se faria uma nova avaliação para "corrigir" a posição.

Quando se é "obrigado" a alguma coisa, nunca corre bem. Nem em Bikefits nem em nada na vida... Acho eu! Lol
Sim sim! Eu sei perfeitamente o que estás a dizer. Mas no meu caso há alguns factores, que não interessa abordar publicamente, que fizeram com que tivesse sido assim... um dia destes tenho que passar lá e fazer um a sério!
 

Matz

Active Member
Fico muito contente por ver que afinal há quem tente entender este processo, que há quem faça perguntas, quem se interesse e quem queira aprender mais.

Só não percebo porque é que não falam mais vezes e permitem sugestões baseadas em alturas, top tubes e outras coisas... Isso é que me fez confusão. Afinal há aqui muita gente a perceber do assunto! ;)
 
Olá @Matz tendo em conta que me parece que tens uma vasta experiência quer a nível de fit´s quer de ciclismo,qual a tua opinião sobre as tabelas de tamanhos das marcas de bicicletas parecem te correctas ou incorrectas?
Quando compras uma bicicletas guias te pelas tabela da marca?
 

ruilebs

Well-Known Member
Sim sim! Eu sei perfeitamente o que estás a dizer. Mas no meu caso há alguns factores, que não interessa abordar publicamente, que fizeram com que tivesse sido assim... um dia destes tenho que passar lá e fazer um a sério!
Fazer um a sério?!
Ia jurar que já tinhas feito um a sério.
 
Apesar de não concordar a 100% na questão de ir experimentar alterações "por conta própria", subscrevo o resto do post na íntegra!
Eu percebo porque dizes isso, mas repara eu falo principalmente em ajustes de 2/3mm - que fazem muita diferença, pelo menos para mim - precisamente porque a minha condição física não é estanque, varia ao longo do ano, como também segundo o propósito a que me apresento; se calhar vou dizer uma grnade asneira e que não faz sentido nenhum, contudo para mim fez e faz, portanto aqui vai um exemplo que espelha bem essa necessidade que tenho de por vezes fazer esses ajustes:

Geralmente as minhas saidas são caracterizadas por muitas horas em cima da bicicleta a um ritmo moderado. Tendo em conta a minha condição fisica, rotinas, habitos , vicios, e a minha falta de flexibilidade quando do bike-fit, chegamos á conclusão que o conforto teria de ser prioridade.

Quando falo em conforto, falo num nível suficiente para aguentar/passar muitas horas em cima de bicicleta, tendenciamente em percursos de sobe e desce (na realidade eu acho que sobe sempre mais do que desce...). A base é esta, porém por vezes mudamos as noissas rotina.

Deve estar a fazer um ano fiz Porto-Fátima, e estava dentro de uma certa "boa forma" otimizei a minha posição para um percurso plano, rolante, sem grandes dificuldades, e achei (reforço, eu achei) que com as alterações que fiz principalmente ao nivel aerodinamico, ganhei qualquer coisa, fui mais rápido, mais eficiente; Já este ano aconteceu o oposto quando me desafiei a fazer umas boas centenas de km e muiiiito acumulado de forma continua, em que aí ajustei a bicicleta para um percurso em que 75% do tempo, senão mais, foram a subir.

Pessoalmente, os ajustes que faço vão no sentido que expliquei, porém quando eu sugeri que fizessem as alterações, não era bem neste sentido, mas sim, caso achem necessário, quando uma semana depois de fazer o fit em que sentimos que falta um ajuste qualquer, que ainda não está no ponto, algo que muitas vezes só acontece depois de passarmos muitas horas em cima do selim, e sempre claro, em porporções minimas tipo +1 / -1.
 
Mesmo local, mesmo equipamento e pessoa diferente. :)

Mas eu no fundo até percebo o que aconteceu... e sou em parte responsável por isso.

Não sei porquê mas tenho o péssimo hábito de pedalar com o calcanhar levantado, ligeiramente em picos de pés. Durante o bikefit fui alertado várias vezes para baixar o calcanhar e lá fui fazendo um esforço para o fazer. O que é que aconteceu? Os parâmetros estavam perfeitos para a posição (calcanhar em baixo), o problema é quando eu vou para a rua e volto à pedalada normal, com o calcanhar em cima. Eu acredito que nessa posição reduz consideravelmente o ângulo do joelho, ora, para corrigir levantei a medida do selim e reduzi o recuo.

Um dia destes tenho que fazer novo bikefit para a bike nova... os meus joelhos (cartilagens) têm problemas há anos, tenho que ter cuidado...

Revejo me na forma de pedalar....eu pedalava assim, porém o desfecho mas no meu caso foi diferente.

Eu achava que estava a pedalar bem e sentia me confortável (achava eu...), perna quase esticada, a força quase sempre exercida pela ponta do pé, e tudo aquilo que advém daí, basicamente andava empoleirado em cima da bicicleta; passei para uma posição com um centro de gravidade mais baixo, e foi o encanto o dislumbre do 1º bike-fit!!!

Quanto ao teu caso, até pode haver uma razão para te sentires bem, contudo o meu conselho (apesar de não ser preciso dizer) quando puderes volta a fazer outro. Certamente não vais encarar da mesma forma que o primeiro, de certeza!
 

NULL

Moderador
Staff member
Fico muito contente por ver que afinal há quem tente entender este processo, que há quem faça perguntas, quem se interesse e quem queira aprender mais.

Só não percebo porque é que não falam mais vezes e permitem sugestões baseadas em alturas, top tubes e outras coisas... Isso é que me fez confusão. Afinal há aqui muita gente a perceber do assunto! ;)
Eu percebo o teu ponto de vista mas há outras variáveis nestas coisas das bikes. Fazer um bikefit não fica por nenhuma exorbitância mas também não é propriamente barato. Normalmente ultrapassa os 100€... eu sei que é dinheiro ganho, não é gasto, mas nem toda a gente tem disponibilidade para os despender. Dito isto, por vezes e preferível um bikefit a "olhómetro" ou com mediadas teóricas do que andarem com um posicionamento completamente desajustado. Acho que muitas das ajudas no fórum têm isso como base. Mas claro, concordo contigo, nada substitui um bikefit.
 

ruilebs

Well-Known Member
Eu percebo o teu ponto de vista mas há outras variáveis nestas coisas das bikes. Fazer um bikefit não fica por nenhuma exorbitância mas também não é propriamente barato. Normalmente ultrapassa os 100€... eu sei que é dinheiro ganho, não é gasto, mas nem toda a gente tem disponibilidade para os despender. Dito isto, por vezes e preferível um bikefit a "olhómetro" ou com mediadas teóricas do que andarem com um posicionamento completamente desajustado. Acho que muitas das ajudas no fórum têm isso como base. Mas claro, concordo contigo, nada substitui um bikefit.
Claro que sim, o que é dito aqui quanto a tamanhos deve ser entendido como indicativo.
Para quem nao quiser ou puder gastar dinheiro num bikefit, pode ser uma boa (talvez até única) ajuda.
Eu continuo a achar o mesmo: ninguém pode ser recriminado por dar a sua opiniao. Quem lê também tem que perceber o âmbito e as condicionantes da opinião que está a ler.
 

NULL

Moderador
Staff member
Revejo me na forma de pedalar....eu pedalava assim, porém o desfecho mas no meu caso foi diferente.

Eu achava que estava a pedalar bem e sentia me confortável (achava eu...), perna quase esticada, a força quase sempre exercida pela ponta do pé, e tudo aquilo que advém daí, basicamente andava empoleirado em cima da bicicleta; passei para uma posição com um centro de gravidade mais baixo, e foi o encanto o dislumbre do 1º bike-fit!!!

Quanto ao teu caso, até pode haver uma razão para te sentires bem, contudo o meu conselho (apesar de não ser preciso dizer) quando puderes volta a fazer outro. Certamente não vais encarar da mesma forma que o primeiro, de certeza!
Eu na primeira vez que baixei o selim ao fim de 80km tive que ligar à mulher para me ir buscar... rebentei um joelho por completo. lolll

O ortopedista recomendou-me subir o selim ao máximo do confortável para minimizar os problemas de cartilagens... sendo esse um dos motivos que me fez voltar a subir.
 
Eu na primeira vez que baixei o selim ao fim de 80km tive que ligar à mulher para me ir buscar... rebentei um joelho por completo. lolll

O ortopedista recomendou-me subir o selim ao máximo do confortável para minimizar os problemas de cartilagens... sendo esse um dos motivos que me fez voltar a subir.
Aconteceu-me o mesmo com o joelho. Nunca tinha tido dores nenhumas. Numa volta, a meio, começo a ter dores lixadas e fui até casa a tentar poupar as pedaladas.
Mas no meu caso o selim baixou sozinho e nem reparei. Estava mal apertado, baixou e nem dei por ela. Só depois de uns dias é que fui ver e estava 2 ou 3 cm mais baixo... Ou nem tanto, não medi!
 

moshinho

Well-Known Member
mas tenho o péssimo hábito de pedalar com o calcanhar levantado, ligeiramente em picos de pés. Durante o bikefit fui alertado várias vezes para baixar o calcanhar e lá fui fazendo um esforço para o fazer. O que é que aconteceu? Os parâmetros estavam perfeitos para a posição (calcanhar em baixo), o problema é quando eu vou para a rua e volto à pedalada normal, com o calcanhar em cima.
Acontece-me o mesmo. Feito em Retul.
Dei o meu feedback que algo não estava correcto, pois ficava com imensas cãimbras nos gémeos.
Pediram-me para voltar a fazer o bikefit, gratuito, para afinar novamente a posição, mas que teriam de alterar a posição e colocar-me numa posição menos correcta devido a esta minha mania de levantar os calcanhares.
Acabei por alterar a altura do selim em casa, baixando alguns milímetros (pois sou daqueles que qualquer milímetro me faz logo confusão).
Já tive de alterar um pouco os cleats nos sapatos, pois a posição que ficaram colocados, arrebentavam-me com os joelhos todos.
Ficava com dores enormes e um desconforto tal que não aguentava.
Ainda hoje tou a meio termo a ver se me habituo mais à posição dos cleats.
Entretanto mudei de selim e coloquei um fizik antares, que fica numa posição mais recuada, mesmo estando no limite dos carris.
Já tive de mandar vir um avanço mais curto para compensar a posição do selim, pois fico com desconforto e dores nos trapézios, mãos, ombros, etc.
Estou numa posição muito esticada sem dúvida alguma.
Não se pode ter tudo e certas dores, etc não irão desaparecer, mas ao menos minimiza-se.
Em relação ao bikefit que fiz em sistema retul, as alterações que me fizeram foi:
- levantaram-me um pouco as manetes no guiador
- alteraram a posição dos cleats para os calcanhares ficassem mais direitos
- levantaram o selim cerca de 0.5cm
- colocaram o selim que tinha na altura, todo para a frente nos carris
- baixaram o guiador na forqueta em cerca de 0.5cm
Depois destas alterações fiquei ainda mais desconfortável.
Contudo todas estas alterações careciam de habituação.
Ainda hoje pedalo com algumas destas alterações, outras nem por isso.
Mas incentivo a um bikefit da retul pelo menos. Dos dois que fiz, este foi sem dúvida o melhorzito.
No entanto, se voltasse a fazer seria em outro lado, pois achei que a interação foi apressada e sem grandes explicações. Acabei por ficar com algumas dúvidas por esclarecer.
 

Matz

Active Member
Olá @Matz tendo em conta que me parece que tens uma vasta experiência quer a nível de fit´s quer de ciclismo,qual a tua opinião sobre as tabelas de tamanhos das marcas de bicicletas parecem te correctas ou incorrectas?
Quando compras uma bicicletas guias te pelas tabela da marca?
As tabelas das marcas só podem ser correctas... afinal são as marcas que as fazem! O que eu não concordo, é que no site das marcas indiquem que o tamanho "X" de quadro dá para pessoal com altura de "Y" a "Z"... pelas razões já apontadas anteriormente. Felizmente já há marcas que pedem algumas medidas corporais, que apesar de não serem por si só garantia de nada, já é uma evolução neste campo.

Quando precisar de trocar de bicicleta, não tenho qualquer dúvida de que irei fazer um Bikefit num simulador, sem bicicleta e sem qualquer limitação, colocar tudo o melhor possível para as minhas características e ver quais as bicicletas que se encaixam melhor em mim. E depois é ir até onde a carteira deixar! LOL

Eu percebo o teu ponto de vista mas há outras variáveis nestas coisas das bikes. Fazer um bikefit não fica por nenhuma exorbitância mas também não é propriamente barato. Normalmente ultrapassa os 100€... eu sei que é dinheiro ganho, não é gasto, mas nem toda a gente tem disponibilidade para os despender. Dito isto, por vezes e preferível um bikefit a "olhómetro" ou com mediadas teóricas do que andarem com um posicionamento completamente desajustado. Acho que muitas das ajudas no fórum têm isso como base. Mas claro, concordo contigo, nada substitui um bikefit.
Ainda hoje tive uma agradável conversa sobre o tema "Custo de um Bikefit"... e vou já alertar que vou ser polémico, mas é certo que é apenas uma simples opinião pessoal.

Quem se mete nas bicicletas tem de ter a noção de que isto é um desporto muito dispendioso. Não quero com isso dizer que é desporto de ricos (eu não o sou, nem de perto!), mas é caro. Bicicleta, equipamento, provas, nutrição, deslocações, gasóleo, portagens, treinadores, avaliações, massagens, fisioterapia/osteopatia, etc, etc, etc... Penso não estar a dar novidade a ninguém.

Assim, quem quiser levar a bicicleta num plano mais regular, tem de estar preparado para gastar algumas (muitas) centenas de euros. Mesmo que cortemos metade das despesas que referi acima, não sendo treinado, não indo a provas e só andando muito pontualmente, iremos sempre gastar algumas centenas numa bicicleta na Decathlon e um equipamento minimamente digno desse nome.

Desta forma, e muito provavelmente, o Bikefit irá corresponder a algo entre 10 e 20% (30% no máximo dos máximos) do investimento no desporto, pelo que atendendo a que estamos a falar de algo que afecta a nossa saúde, acho um preço muito baixo a pagar, mesmo quando se gastou muito pouco no resto. Afinal não é só uma questão de conforto, é uma questão de prevenção de lesões. Conheço quem tenha pago 3x mais o valor da sua bicicleta por um Bikefit, apenas por, e passo a citar: "a minha saúde, conforto e bem estar não têm preço".

A partir daí, quando temos quem gaste 2, 3, 5, 10mil€ numa bicicleta, acho no mínimo ridículo (para não dizer uma palavra mais feia) dizer que Bikefits são caros.. Em alguns casos estamos a falar de 2, 3% do investimento total por parte do ciclista! O que leva à questão mais polémica: Vocês sabem quanto leva um bom Bikefitter, por bicicleta, lá fora? 200, 300 ou até 400€!

Ao que vocês vão automaticamente disparar: "Ah, mas o estilo de vida lá fora não tem nada a ver, eles ganham 3 ou 4x mais do que nós!" E é este argumento que me deixa completamente doido! Porquê?

Todos sabemos que temos das maiores taxas de IVA, o que faz com que as bicicletas (e tudo o resto!) sejam mais caras aqui em Portugal do que em qualquer outro país europeu. E alguém deixa de as comprar? Alguém compra bicicletas mais baratas, porque ganhamos menos e gastamos mais? Não, compras as mesmas que os outros lá fora! E porquê? Porque toda a gente vê as nossas novas rodas XPTO de carbono, a nossa S-Works, os nossos sapatos de 300€, a nossa bicicleta de btt com 8 Kg!

Já o Bikefit... ninguém sabe se o fizemos ou não, não se vê na rua! ;)

Isto é apenas e só uma questão de vaidade e no fundo, de cultura, tão ao jeito do português. O que interessa é mostrar!

Este testamento todo para dizer o quê? Um Bikefit não é uma despesa, é um investimento. Ninguém que gaste dinheiro em bicicletas pode dizer que não tem condições para fazer um. No seguimento disso, a meu ver, as indicações "generalistas" dadas nos fóruns, é quase o mesmo que uma pessoa ter uma doença qualquer e alguém dizer "o meu vizinho toma o Calcitrin e sente-se muito bem!"

Muito sinceramente eu prefiro ir ao médico! ;)
 

Matz

Active Member
Acontece-me o mesmo. Feito em Retul.
Dei o meu feedback que algo não estava correcto, pois ficava com imensas cãimbras nos gémeos.
Pediram-me para voltar a fazer o bikefit, gratuito, para afinar novamente a posição, mas que teriam de alterar a posição e colocar-me numa posição menos correcta devido a esta minha mania de levantar os calcanhares.
Acabei por alterar a altura do selim em casa, baixando alguns milímetros (pois sou daqueles que qualquer milímetro me faz logo confusão).
Já tive de alterar um pouco os cleats nos sapatos, pois a posição que ficaram colocados, arrebentavam-me com os joelhos todos.
Ficava com dores enormes e um desconforto tal que não aguentava.
Ainda hoje tou a meio termo a ver se me habituo mais à posição dos cleats.
Entretanto mudei de selim e coloquei um fizik antares, que fica numa posição mais recuada, mesmo estando no limite dos carris.
Já tive de mandar vir um avanço mais curto para compensar a posição do selim, pois fico com desconforto e dores nos trapézios, mãos, ombros, etc.
Estou numa posição muito esticada sem dúvida alguma.
Não se pode ter tudo e certas dores, etc não irão desaparecer, mas ao menos minimiza-se.
Em relação ao bikefit que fiz em sistema retul, as alterações que me fizeram foi:
- levantaram-me um pouco as manetes no guiador
- alteraram a posição dos cleats para os calcanhares ficassem mais direitos
- levantaram o selim cerca de 0.5cm
- colocaram o selim que tinha na altura, todo para a frente nos carris
- baixaram o guiador na forqueta em cerca de 0.5cm
Depois destas alterações fiquei ainda mais desconfortável.
Contudo todas estas alterações careciam de habituação.
Ainda hoje pedalo com algumas destas alterações, outras nem por isso.
Mas incentivo a um bikefit da retul pelo menos. Dos dois que fiz, este foi sem dúvida o melhorzito.
No entanto, se voltasse a fazer seria em outro lado, pois achei que a interação foi apressada e sem grandes explicações. Acabei por ficar com algumas dúvidas por esclarecer.
Isso a mim parece-me um Bikefit desastroso!

São normais pequenos desconfortos nas primeiras voltas, agora dores enormes e desconfortos que não aguentavas?

Ao ler todo o teu testemunho até me arrepiei. Já tinha batido a outra porta... mas há muito tempo! :(
 

NULL

Moderador
Staff member
As tabelas das marcas só podem ser correctas... afinal são as marcas que as fazem! O que eu não concordo, é que no site das marcas indiquem que o tamanho "X" de quadro dá para pessoal com altura de "Y" a "Z"... pelas razões já apontadas anteriormente. Felizmente já há marcas que pedem algumas medidas corporais, que apesar de não serem por si só garantia de nada, já é uma evolução neste campo.

Quando precisar de trocar de bicicleta, não tenho qualquer dúvida de que irei fazer um Bikefit num simulador, sem bicicleta e sem qualquer limitação, colocar tudo o melhor possível para as minhas características e ver quais as bicicletas que se encaixam melhor em mim. E depois é ir até onde a carteira deixar! LOL



Ainda hoje tive uma agradável conversa sobre o tema "Custo de um Bikefit"... e vou já alertar que vou ser polémico, mas é certo que é apenas uma simples opinião pessoal.

Quem se mete nas bicicletas tem de ter a noção de que isto é um desporto muito dispendioso. Não quero com isso dizer que é desporto de ricos (eu não o sou, nem de perto!), mas é caro. Bicicleta, equipamento, provas, nutrição, deslocações, gasóleo, portagens, treinadores, avaliações, massagens, fisioterapia/osteopatia, etc, etc, etc... Penso não estar a dar novidade a ninguém.

Assim, quem quiser levar a bicicleta num plano mais regular, tem de estar preparado para gastar algumas (muitas) centenas de euros. Mesmo que cortemos metade das despesas que referi acima, não sendo treinado, não indo a provas e só andando muito pontualmente, iremos sempre gastar algumas centenas numa bicicleta na Decathlon e um equipamento minimamente digno desse nome.

Desta forma, e muito provavelmente, o Bikefit irá corresponder a algo entre 10 e 20% (30% no máximo dos máximos) do investimento no desporto, pelo que atendendo a que estamos a falar de algo que afecta a nossa saúde, acho um preço muito baixo a pagar, mesmo quando se gastou muito pouco no resto. Afinal não é só uma questão de conforto, é uma questão de prevenção de lesões. Conheço quem tenha pago 3x mais o valor da sua bicicleta por um Bikefit, apenas por, e passo a citar: "a minha saúde, conforto e bem estar não têm preço".

A partir daí, quando temos quem gaste 2, 3, 5, 10mil€ numa bicicleta, acho no mínimo ridículo (para não dizer uma palavra mais feia) dizer que Bikefits são caros.. Em alguns casos estamos a falar de 2, 3% do investimento total por parte do ciclista! O que leva à questão mais polémica: Vocês sabem quanto leva um bom Bikefitter, por bicicleta, lá fora? 200, 300 ou até 400€!

Ao que vocês vão automaticamente disparar: "Ah, mas o estilo de vida lá fora não tem nada a ver, eles ganham 3 ou 4x mais do que nós!" E é este argumento que me deixa completamente doido! Porquê?

Todos sabemos que temos das maiores taxas de IVA, o que faz com que as bicicletas (e tudo o resto!) sejam mais caras aqui em Portugal do que em qualquer outro país europeu. E alguém deixa de as comprar? Alguém compra bicicletas mais baratas, porque ganhamos menos e gastamos mais? Não, compras as mesmas que os outros lá fora! E porquê? Porque toda a gente vê as nossas novas rodas XPTO de carbono, a nossa S-Works, os nossos sapatos de 300€, a nossa bicicleta de btt com 8 Kg!

Já o Bikefit... ninguém sabe se o fizemos ou não, não se vê na rua! ;)

Isto é apenas e só uma questão de vaidade e no fundo, de cultura, tão ao jeito do português. O que interessa é mostrar!

Este testamento todo para dizer o quê? Um Bikefit não é uma despesa, é um investimento. Ninguém que gaste dinheiro em bicicletas pode dizer que não tem condições para fazer um. No seguimento disso, a meu ver, as indicações "generalistas" dadas nos fóruns, é quase o mesmo que uma pessoa ter uma doença qualquer e alguém dizer "o meu vizinho toma o Calcitrin e sente-se muito bem!"

Muito sinceramente eu prefiro ir ao médico! ;)
Sim, tens toda a razão mas ainda há um pouco uma espécie de "bloqueio" a pagar uma coisa que não se vê, que não se agarra, que não se pega. Claro que é errado, mas é o que é.

Vamos esperar que este tópico seja lido por muitos membros e que os ajude a decidir...

;)
 
@Matz eu ia escrever precisamente o mesmo, mas não quis ser polémico..

No meu caso adiei demasiado tempo o bike-fit, era amanhã, este mês não posso, para a semana não tenho tempo...enfim, o costume. Mas houve um dia, aquele dia... Tinha um objetivo, fui para a Corunha, gastei gásoleo, portagens, hotel, inscrição, para pouco fazer ficar pelo caminho com dores fortes num joelho com 90k dos 600k que me tinha proposto fazer. Um ajuste (parvo) num cleat a pensar - mais uma vez - que estava a fazer uma grande coisa fez com que deitasse tudo por terra.

Contas feitas, gastei naquela deslocação bem mais que no bike-fit, portanto na segunda feira seguinte estava a ligar para o fitter a marcar, portanto posso dizer que aquele fit ficou muito caro...

Como diz o outro, sempre a aprender...
 

joseruivo

Well-Known Member
Eu achava que estava a pedalar bem e sentia me confortável (achava eu...), perna quase esticada, a força quase sempre exercida pela ponta do pé, e tudo aquilo que advém daí, basicamente andava empoleirado em cima da bicicleta; passei para uma posição com um centro de gravidade mais baixo, e foi o encanto o dislumbre do 1º bike-fit!!!
Que diferenças é que sentiste com o centro de gravidade mais baixo?
 

joseruivo

Well-Known Member
Já tive de alterar um pouco os cleats nos sapatos, pois a posição que ficaram colocados, arrebentavam-me com os joelhos todos.

Ainda hoje tou a meio termo a ver se me habituo mais à posição dos cleats.
Ora aí está um aspeto que ainda parece polémico. Tenho ideia que existe quem defenda a posição do pé absolutamente paralela aos cranques, e quem defenda a posição habitual dos pés quando se anda. Eu não consigo pedalar com os pés paralelos aos cranques. A finação dos cleats é tão sensível que não entendo porque não há mais pessoas a usarem Speedplay. Enfim, à parte a questão do preço, mas quase não precisa de afinação para se ficar confortável