Transmissão e Cassete

zorza

Well-Known Member
#61
Uma cena que os mais experientes não conhecem em relação a isto de cassetes e desmultiplicações, é o factor peso, porque simplesmente estão em muito melhor forma física e com o peso muito mais controlado.
o meu exemplo: 1,83m, mas com 90kg, ou a Carolina que diz que tem 20kg a mais.....

O problema é que quando se tem 20kg a mais, numa subida de 12% e daí para cima, mesmo com uma compacta e uma 32 atrás, é preciso ir a fazer 350 a 400w ou mais para rodar as rodas a 40 ou 50rpm, o que é muito baixo!! E aguentar os 400w uns 3 ou 4 minutos, upa upa.. não é todos os dias :) Como vocÊs têm um peso mais correcto, os 250w já chegam, e esses aguentam-se melhor :)
Senti isso perfeitamente nos muros do gerês granfondo.. Foram dose :) daí, Às vezes compreendo os vossos conselhos de aprender a treinar, de trabalhar cadÊncia, e é claro que passado uns meses o corpo cresce, o pulmão habitua-se, a mente aprende a controlar o desespero, mas até lá.. só há três hipótese:
1) Evita essas subidas
2) vai a pé quando tiveres de ir
3) treina treina treina..
4) volta ao ponto 1 e repete :)

E claro, que quando não se tem treino nenhum, podes ter uma cassete 50 atrás de bicicleta de montanha que não vai fazer grande diferença. Vais estourar bem rápido..

Peguem lá num saco de areia de 20kg e vão lá fazer subidas para ver como é bom :)

Zorza
 

NULL

Moderador
Staff member
#62
Eu ando a comer muito porque perdi demasiado peso... uns custa a perder peso, eu estou a tentar ganhar! lollll
 
#63
Entrada de leão, saída de cordeiro.. :)

Ou conheces bem a subida e te conheces bem a ti, ou entrar a queimar é um erro grave e desnecessário..
ENtra com calma, encontra o teu ritmo e depois acelera na segunda metade. Se entras à morte, corres o risco :)

Zorza
~

Por acaso foi, não estava a contar que o corpo ressentisse tanto a paragem de 4/5 dias...
 
#64
Peço desculpa ressuscitar um tópico, tão antigo, mas deram aqui alguns exemplos conhecidos e acho que é escusado abrir outro tópico.
Possuo bike de estrada com campagnolo athena 11v (50-34 e 11-27). O ano passado fiz o gerês medio fondo e correu bem, este ano arrisquei no gerês grandfondo, e apesar de ter acabado, e não em último já foi uma pancada jeitosa, com pelo menos uma das subidas a pé.
Mas...ficou o bicho da superação...e de para o ano tentar fazer o grand fondo serra da estrela.
Se o gerês com 3200 de acumulado (2900 declarados) foi um pau, a serra da estrela com 4600 deve ser de morte.
Julgo que o máximo de cassete que este grupo admite é a 11-29, o que não me parece uma diferença significativa.
Pensei numa alternativa meia maluca que seria ir de BTT (26 rigida) com pneus slicks (já tenho rodas com pneus slicks, e arranjo quem empreteste uma cassete de estrada 10v, ou posso sempre ir com a de btt (Cassete 11-36 e pedaleiro 26-38 10v).
Há coisa de meio ano tive a bike de btt na garantia e andei com uma das btt (suspensão total 26) com prato 34 oval e cassete 11-40 (11v) e até gostei, principalmente em zonas de subidas "puxadas". Mas também tinha menos preparação.
Que dizem? ou é mesmo de malucos? O objetivo não é fazer tempos, mas sim acabar e superação pessoal.
 

Maddog

Well-Known Member
#66
@skinnie 2 dentes na k7 já são uma ajuda, de qualquer das formas se incrementa s no treino não irás notar tanto o empeno. Não esquecer que numa situação dessas a aliman é hidratação é tão ou mais importante do que o treino
 
#67
Se a subir vais ter vantagem (mudanças mais leves), no resto é tudo desvantagem
Estás a falar da velocidade "média" e máxima, ou em termos de conforto?

@skinnie 2 dentes na k7 já são uma ajuda, de qualquer das formas se incrementa s no treino não irás notar tanto o empeno. Não esquecer que numa situação dessas a aliman é hidratação é tão ou mais importante do que o treino
Em termos de alimentação e hidratação considero que estive "bem" e não falhou nada.
2 dentes - 130eur custa um bocado a dar :/
O treino tem de ser melhor, mas também não fui para lá a "zeros".
Obrigado aos dois pela resposta.
 
#68
Estás a falar da velocidade "média" e máxima, ou em termos de conforto?
Para mim, em todos os aspectos, vais andar mais direito em todas as situações, logo deve de ser uma tareia do cacete, então se houver vento
Uma bicicleta de btt nunca vai andar o mesmo que uma de estrada, mesmo que a transmissão seja a mesma
 
#73
Bom Dia
Tenho pedaleiro Shimano 105 (5800) com pratos 36-52 (atrás 11-32) e queria passar para 34-50 e a questão é a seguinte:
Consigo mudar os pratos sem desmontar todo o sistema do movimento pedaleiro?
Obrigado.
 

OMINIS

Active Member
#74
Bom Dia
Tenho pedaleiro Shimano 105 (5800) com pratos 36-52 (atrás 11-32) e queria passar para 34-50 e a questão é a seguinte:
Consigo mudar os pratos sem desmontar todo o sistema do movimento pedaleiro?
Obrigado.
Tens de desmontar/retirar do quadro o pedaleiro para substituir os pratos.
 

mariosimas

Well-Known Member
#75
A resposta apesar de bruta é simples.

Queres andar mais rápido mais longe?

Treina com método, e com o tempo vais andar mais rápido.

O problema não é a bicicleta é o motor
 
#76
Não propriamente @mariosimas, eu só quero ter mais tolerância em algumas subidas / rampas de 13 a 20%, porque em plano / velocidade 36-52 está bem.
Eu sei bem que não é a bicicleta e, que o problema está no motor, pois já tem muitos kms e a idade começa a pesar no corpo.
A minha questão vem no sentido de ser ou não fácil de fazer a alteração aos pratos, e que o @OMINIS diz que não (???).
 

Bruso

Well-Known Member
#77
Fácil ou difícil é relativo.
És tu que fazes a manutenção à tua bike?
Tens ferramentas? Chave dinamómetra?
Já tiraste um pedaleiro fora alguma vez?
 

cconst

Well-Known Member
#78
A minha questão vem no sentido de ser ou não fácil de fazer a alteração aos pratos,
Sim é.
2 parafusos do crank + 4? parafusos dos pratos da pedaleira.

Nota que eu não sou nenhum guru da mecânica de bicicletas e existem algumas coisas nas quais é necessário ter alguma experiência e conhecimento para que tudo corra bem. E especialmente ferramenta apropriada. Mas assumindo que todos temos um conjunto de chaves Allen decente (subir/descer espigão do selim, ajustar o guiador e avanço) e eventualmente uma chave dinanometra, então tem-se tudo para se proceder à troca dos pratos.

Já o BB é outra história.
 
#79
Sim, sou eu que faço até ao nível do meu conhecimento e, como a vida me ensinou, quando não sei mexer não faço, que fica melhor no local certo
Tenho ferramentas e chave.
Nesta bicicleta não, que é praticamente nova tem press fit e aí já é para quem sabe.
Se for só mudar os pratos, afinar o desviador da frente faço eu se for o press fit será para experientes. Os pratos depois de desapertados não passam na (aranha???) do crank da pedaleira para sairem desse lado???
 

cconst

Well-Known Member
#80
Ver apenas até tirar o pedaleiro. O resto não interessa para trocar os pratos, digo eu.

Eu, por norma, uso o meu espírito curioso e olho para o material. Vejo as especificações. Vejo uns videos. Tento uma vez. Se não consigo sem dificuldades, paro tudo, volto a colocar como estava e vou a uma oficina (e digo o que fiz!).

Mas a verdade é que muitas das coisas que parecem ser hiper-mega-complicadas, não o são. Eu até já troquei molas, amortecedores e um "rotoflex" num Discovery. Às vezes temos que olhar, coçar a barba, respirar fundo e tentar. E tentar não estragar também!