Software para planear percursos

jnap

New Member
#41
@tranquilo
Qual a versão mais recente do software do Edge500, é que acho que tenho de actualizar o meu, porque não me recordo dessa situação da gravação seg a seg...

Logo quando chegar a casa já tenho de verificar isto, o update do firm/soft é directo e linear?
 

Miro

New Member
#44
Já acabei de desenhar o treino de amanhã. Vai ser mais um treino de muito sobe sobe sobe....desce....sobe sobe sobe...desce. 59,8 Km com cerca de 1300 acumulado :)
 
#45
Gpsies v strava

Neste momento estou a elaborar os percursos que vou fazer no GPSIES e enquanto pedalo tenho a aplicação para IPhone do STRAVA a gravar o percurso, contudo as diferenças entre um programa e outro são abismais, por exemplo na volta de ontem no Gpsies acusa um acumulado de 1.497m e no Strava apenas 817m, contudo desde há sensivelmente 15 dias que saiu uma versão nova do Strava para download será possível essa a razão da diferença de cálculos:confused:

Qual vos parece mais correcta ?

GPSIES: http://www.gpsies.com/map.do?fileId=plkxozqirzdmjcns

STRAVA: http://app.strava.com/rides/1494096

Pelo cansaço que sinto nas pernas hoje e comparando com outras voltas estou mais inclinado para a versão do Gpsies, já fiz a actualização do Strava veremos como corre no próximo fim de semana...
 

pratoni

Well-Known Member
#46
Eu tenho uma pequena dúvida acerca do strava:

Tentei fazer upload directo para o strava dos treinos gravados no meu forerunner 305 e a grande maioria apareciam como "Empty", só tendo conseguido importar 6 treinos.

Alguém sabe o que poderá ter-se passado? :confused:
 
#47
Boas!

Eu para desenhar os tracks do zero uso o google maps (normalmente tendo como base outros percursos). Depois uso o GPSBabel para converter de KML para GPX. Como o KML não vem com altimetria uso o site "www. gpsvisualizer.com/convert_input?add_elevation=auto " para adicionar a altimetria ao GPX.
Depois passo para o meu Oregon 450 e já está.
 
#48
Eu custumo fazer através do Google Earth.
É assim:

- Abram o Google Earth
- Centrar a vista de “Satélite”
- No menu Ferramentas, clicar em “Régua” e na caixa que vai aparecer clicar no separador “Caminho”
- Agora com muita calma e algum jeito, tipo arrastar/largar com o rato delinear o caminho,(tal como no gpsies) não importa o numero de pontinhos que se façam, até porque depois vão desaparecer, o mais importante é que a linha fique o mais possível sobre o trilho.
- Depois de concluído vamos clicar em guardar, aqui podemos dar um nome, (por ex. “Volta de domingo”), escolher a distancia em metros km etc.
- No menu “Ver” clicar em Barra Lateral ou Ctrl+Alt+B, nos Locais/meus locais estará então a azul o nome que demos ao caminho, clicamos com o botão direito do rato e escolher “Mostrar perfil de elevação”.
- Temos então o gráfico, com vários dados: percentagem de inclinação; distancia etc. passando com o rato em cima do gráfico podemos ver na vista de “Satélite” o local correspondente e aproximar para ver em mais detalhe.
E pronto, não sei se já sabiam disto mas de facto quando descobri fiquei com a ideia que era útil em especial para quem não tem GPS, pode não ser muito pratico, é pena não dar o acumulado de subida, (embora eu ache que é no Ganho/perda de elevação tem o acumulado de subida/descida) mas tem a vantagem de podermos fazer vários caminhos e guardá-los para analise, ocultar e voltar a mostrar (pondo o “v” verde no quadrado). Experimentem e digam qq coisa.
 
#49
boas

tenho um edge 200 que após algumas turras e umas ajudas dos camaradas do forum parece estar a funcionar em condições, no entanto quando crio percursos (no GPSies) não consigo exportar para o edge pois alegadamente tem demasiados "pontos" como posso dar a volta a esta situação

cumps
 
#53
Boas,

Normalmente tambem uso o Google earth, depois gravo para kml e uso o gpsies para converter para gpx. Como o meu gps (etrex
vista hcx) é limitado a 500 pontos por track uso o mapsource para fazer a marosca descrita abaixo.
Quanto a acomulado guio-me pelo do GE e do Gpsies mas o do GPS é que manda (só para os que tem altimetro barométrico).

Se diminuires o nº de pontos podes "perder o rumo", ou seja se eliminares demasiados pontos corres o risco de eliminar mudanças de direção e quando deres por ti já vais enganado.
Na estrada é mais facil, tens menos cruzamentos e menos viragens que no btt, mas deixo-te uma dica que comigo resulta 5*.

Quando abrires um track sacado da net no mapsourse muda-lhe o nome para active log e depois exporta para o gps, vais ficar com o percurso na integra, pelo menos até aos 10 000 pontos (etrex vista hcx), podes fazer para vários percurso, sendo active log, active log1 e por aí fora, mas normalmente só enviamos um track para o gps para cada volta.

Cumps
RODAS
 
#54
Não estou a perceber como posso fazer o download visto que a pagina que me indicas-te é para um update e como diz a mensagem em baixo, qual é o Map source product que tenho de ter ?

WARNING: This software will not work unless you already own a MapSource product.

cumps
 
#57
Eu uso o BikeRouteToaster.

Apesar de ser menos flexível do que outras soluções em termos de ajustes na rota, tem uma característica fundamental: A altimetria é a mais aproximada ao real. Por exemplo o RideWithGPS, numa volta de 180Km, coloca quase sempre mais 1000m em cima da altimetria real.

O BRT é ainda o mais simples e rápido. E poucos segundos crio uma rota e partilho logo com quem quiser via link. Com a facilidade do google maps, mas com a vantagem dos dados que interessam nesta coisa das bicicletas incluindo o gráfico altimétrico.

O RidewithGps é interessante e tem outras opções, no entanto acho-o algo pesado e menos prático pra utilização "relâmpago". Uso-o quando preciso de uma visão mais estatística do percurso, já que tem bastante informação adicional e permite isolar determinadas secções para análise mais detalhada.

Além do mais, o RWG ainda não tem suporte completo para Virtual Partner da Garmin, coisa que o BRT já faz eficazmente.

É claro que o programa só faz parte do trabalho. A intuição e percepção do que queremos no final, a análise detalhada da vista de satélite e, por vezes, um ou outro telefonema para avaliar da exequíbilidade de circulação em determinado troço completam a criação de rotas verdadeiramente alternativas.

Boas aventuras!
Boas

Alguém me sabe dizer o que se passa com o BRT?

Aqui há uns dias começou por deixar de abrir o mapa, agora nem a página consigo encontar.

Se alguém usa e está com o mesmo problema, diga alguma coisa...

É pena porque era uma ferramenta que me ajudava muito no planeamento das minhas voltas, pela simplicidade e especialmente na duração das voltas planeadas, que + 5 - 5 coincidia depois com a realidade.

Obrigado
 
#58
Também reparei nisso, o problema de não abrir o mapa deve estar na API que eles usam e agora nem o site abre vamos esperar que seja por estarem a tentar meter aquilo outra vez direito.