O que fazer em caso de acidente? - direitos

jocarreira

Well-Known Member
#1
Ora bem, o azar bateu-me "à porta" (do lado direito) e na passada quinta feira fui atropelado por um carro que entrou numa rotunda quando eu me encontrava a circular nela.
Tive direito a INEM (acho que a VMER também) e a polícia e boas noticias entre as más: não devo ter nada partido.

Feita a apresentação, o que eu pretendo saber por quem, infelizmente, já passou pelo mesmo ou outros que saibam como funcionam os meandros das seguradoras é: o que devo fazer e quais os meus direitos?

Levantar o auto na polícia e apresentar uma reclamação à seguradora do automóvel?
Ir apresentando as despesas médicas que vou tendo? (Pela pouca evolução nestes 3 dias, devo precisar de alguma fisioterapia)

Ainda não vi o estado da bicicleta pois a polícia guardou-a e quando la fui no dia seguinte não estava lá ninguém da divisão de trânsito que ma pudesse entregar. Pelo que o agente me disse no hospital, acho que também tenho que preencher a minha versão dos factos no auto.

Terei que marcar uma peritagem com a seguradora certo? Essa peritagem pode ser feita em qualquer lado? Isto é, eu deixar na loja onde a comprei e o perito ir lá vê-la?

Tendo em conta que terá que ser a seguradora do automóvel a pagar tudo, vale a pena entrar em contacto com a minha seguradora (tenho o seguro da FPC)?
 
#2
Grande @jocarreira, espero que estejas melhor, e que essa recuperação esteja a correr bem, recupera rápido, precisamos da tua roda :)
Já tiveste mais algum desenvolvimento? Já tens a bike, como ficou? Já falaste com as seguradoras, o k te disseram para fazer?
Se precisares de algo, diz.
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#3
@jocarreira as melhoras amigo! Acho que estás bem informado. Pelo que li e a quando do meu acidente foi assim que se processou.

- Como chamaram o INEM a polícia vem sempre e fazem o auto da policia.
- Levantas o auto na policia.
- Preenches a tua folha amigável de acidente e entregas na seguradora de quem te bateu junto com a folha amigável.
- Se não houver dúvidas e se tiveres testemunhas quanto melhor, a seguradora deverá assumir a 100% a responsabilidade.
- A peritagem da bicicleta poderá ser na oficina ou até em casa salvo erro. No meu caso foram á oficina e depois vieram a casa para comprovar a incapacidade e fizeram o levantamento dos salvados.
- Terás que ter paciência e insistir junto da seguradora, qualquer dúvida liga e pergunta. Envia emails se for preciso que fica escrito e serve de prova. Tive que andar a deslocar-me para lá imensas vezes porque falta isto e aquilo. Boa sorte!
 
Last edited:

jocarreira

Well-Known Member
#4
Já tenho a bicicleta, quadro partido na escora e na forqueta, para além de outras coisas nos vários componentes.
Na polícia já preenchi a minha parte e já fiz a participação na seguradora preenchendo a declaração amigável e vão abrir o processo, pelo que agora estou à espera de ser contactado. Não levantei o auto da polícia nem me pediram ainda, se pedirem provavelmente digo para serem eles a levantar pois aquilo tem custos (para além dos custos que eu incorro em me deslocar lá, tempo e dinheiro).
Estou a guardar as faturas dos medicamentos, enfermagem, etc que vou precisando para depois lhes apresentar.
Vamos andando e vamos vendo.
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#5
Já tenho a bicicleta, quadro partido na escora e na forqueta, para além de outras coisas nos vários componentes.
Na polícia já preenchi a minha parte e já fiz a participação na seguradora preenchendo a declaração amigável e vão abrir o processo, pelo que agora estou à espera de ser contactado. Não levantei o auto da polícia nem me pediram ainda, se pedirem provavelmente digo para serem eles a levantar pois aquilo tem custos (para além dos custos que eu incorro em me deslocar lá, tempo e dinheiro).
Estou a guardar as faturas dos medicamentos, enfermagem, etc que vou precisando para depois lhes apresentar.
Vamos andando e vamos vendo.
Tiveste testemunhas? São sempre importantes e acelera o processo. Eu fui levantar o meu auto da policia, diziam ser necessário para abrir o processo na seguradora. Nem sequer ponderei/questionei que eles pudessem levantar. Uma coisa é certa, vais perceber que a seguradora vai fazer de tudo para ir atrasando o processo. Tentam levar as pessoas pelo "cansaço". Eu até tive que ir á seguradora devolver os salvados. Aponta os kms faz um registo dos trajectos e dos custos. É tudo material para "negociar" um possível valor de indemnização final. Faz um inventário do preço da tua bicicleta, de todos os componentes em separado. Pede a factura do valor do quadro e da forqueta á marca. Começa a preparar-te que quando te pedirem as coisas já tens as facturas e valores que eles devem indemnizar. Mas para já é preciso que eles assumam a culpa do sinistro.
 

jocarreira

Well-Known Member
#6
Para já está tudo a andar rápido, fiz hoje a participação e já me ligaram para marcar a peritagem.
Entretanto já ando a reunir as faturas de tudo para ter uma estimativa.

E sim, indiquei testemunhas.
 

jcca

Active Member
#7
Ora bem, o azar bateu-me "à porta" (do lado direito) e na passada quinta feira fui atropelado por um carro que entrou numa rotunda quando eu me encontrava a circular nela.
?
Antes demais as rápidas melhoras,
Eu deixo aqui uma ressalva tens que ter muito cuidado com a seguradora e com o que as tuas testemunhas dizem, pois com a nova lei (que já não é tão nova assim) as seguradoras no caso dos carros têm-se escudado na lei de forma a dar "a maioria das vezes" (quase sempre) o 50-50 de forma a não pagarem e aumentarem os prémios (quem tem contra todos os riscos ainda consegue sofrer menos os outros ficam a arder).
Existia algures na net uma explicação da PSP sobre o assunto que não tive tempo de procurar.
Basicamente só te safas se todas as declarações (tua e testemunhas que não pedalavam ctg) que estavas dentro da rotunda e ele está a entrar se os peritos concluírem que circulavam os dois na rotunda prepara-te para um grande imbróglio (gostava mt de estar enganado e que não seja assim).
Sobre o auto eles que o paguem (para eles é muito mais barato que para nós e o averiguador deles tem tempo e conhecimento e recebe para isso),
Sim além do perito e da visita à loja provavelmente terás uma visita de um averiguador para verificar a veracidade do acidente (aqui há uns anos houve mta malta das motas e das bicicletas a registar acidentes que não existiram).
Se eles assumirem a responsabilidade não precisas de participar à tua seguradora, mas caso contrário como precisas de Fisioterapia terás de o fazer por isso tem atenção ao prazo de oito dias que normalmente as apólices têm para a participação e pelo sim pelo não faz a participação para activares a fisioterapia.
Boa Sorte para os problemas monetários e rápidas melhoras sem sequelas.
 

jocarreira

Well-Known Member
#8
Basicamente só te safas se todas as declarações (tua e testemunhas que não pedalavam ctg) que estavas dentro da rotunda e ele está a entrar se os peritos concluírem que circulavam os dois na rotunda prepara-te para um grande imbróglio (gostava mt de estar enganado e que não seja assim).
Não vou dizer que não pode acontecer porque há coisas do arco da velha, mas neste caso acho muito difícil provarem que estávamos os dois a circular na rotunda pois o carro bateu-me com a frente mesmo em cheio no meu lado direito, eu estava a passar à frente da rua de onde ele vinha e ele não respeitou o sinal de cedência de passagem.
Parece simples mas eu percebo-te, estarei atento a essas coisas.
 
#9
Uma situação muito importante!!! Agora quando vierem dizer que te pagam X + dinheiro de salvado, tu recusa o valor que te vão propor, eles vãio dar valores por baixo e tu tens de apresentar orçamentos MUITO por alto!!! vais perder tempo e ganhar cabelos brancos mas não podes ir na ladaínha deles que é aquele o valor comercial da bicicleta!!!
Já me aconteceu e ainda consegui aumentar em 50% o valor que começaram a propor!!!!
 
#11
Ontem voltou a ser a minha vez. Luxação no ombro esquerdo, várias dores e perda de consciência na altura do acidente. Acho que foi um Sr. de uma Toyota Dina ou algo do género que ñ me viu e deu-me uma cacetada com o espelho mas ficou no local. Tenho seguro na Generalli por isso estou confiante que me vai ajudar a resolver isto. Ainda ñ vi a Low Cost, apenas me lembro de a ver na altura no chão a alguns metros de mim.
 
#13
Ele ficou no local e pediu-me o n' de telemóvel para me telefonar. Já tive em 2002 outro sinistro, foi desde então que o meu Pai me obrigou a fazer seguro, e na altura fiquei também com o salvado
 
#14
Ontem voltou a ser a minha vez. Luxação no ombro esquerdo, várias dores e perda de consciência na altura do acidente. Acho que foi um Sr. de uma Toyota Dina ou algo do género que ñ me viu e deu-me uma cacetada com o espelho mas ficou no local. Tenho seguro na Generalli por isso estou confiante que me vai ajudar a resolver isto. Ainda ñ vi a Low Cost, apenas me lembro de a ver na altura no chão a alguns metros de mim.
Deves ter batido com a cabeça para perder a consciência, espero que não tenha passado de mais um susto, as melhoras!
 
#16
Boa tarde a todos,
Não desmistificar assunto nenhum vou contar uma situação como foi para vocês perceberem o funcionamento geral das situações e dp cada um extrapola para as suas situações com as devidas distâncias, e vou tocar em alguns assuntos que já foram abordados por outros "useres" de forma avulsa.
1º Tive um acidente com uma bicicleta fora de garantia (interessa para toda a situação e o valor a receber se está na garantia recebes o total se não está tem desvalorização de mercado e normal e está correto) de quadro e do restante material quadro original de PVP 4700€ rodas PVP 2500€.
2º Tive um logista que fez um orçamento para a peritagem (qt a mim exagerou nos valores dos periféricos que eu tinha e nos que colocou no orçamento, bem como no valor de mercado da minha bicicleta).
Não sei porque não estava lá mas pelo desenrolar de toda a situação penso que o relacionamento entre o perito e o logista nunca foi em bons termos, pois estas situações não podem ser só fazer o orçamento é preciso saber explicar e fazer ver o ponto de vista do mercado, há situações que não se deve ir para a perda total é preciso analisar cada situação.
3º Tive Perito, na loja, Averiguador na Loja, na policia com entrevista aos agentes que foram ao local, entrevista a mim com a roupa, sapatos, capacete, etc, pedido do averiguador se me deslocava ao local do acidente se o seu segurado não estivesse disponível para tal (não foi necessário), entrevista a quem me bateu e visita ao local do acidente com o sr.
4º A companhia de seguros só falou diretamente cmg nas seguintes situações, por carta a pedir autorização e ordem de desmontagem da bicicleta para a peritagem, carta a assumir a responsabilidade do acidente, carta a propor um valor de indemnização (no espaço de 4 semanas), após a minha recusa do acordo por escrito só voltaram a falar diretamente cmg seis meses dp por telefone (e nunca mais colocaram nenhum valor por escrito a não ser a tal primeira proposta) em que perceberam qual seria o valor pelo que iríamos fazer o acordo, os contactos foram sempre através do meu agente de seguros que tb pedala e tem um quadro da mesma marca que o meu.
5º A primeira proposta foi de 20% do orçamento do logista menos o valor do salvado (o valor proposto pelo salvado mostrava o que a companhia percebia das bicicletas) - Aqui percebi o mau trabalho do Logista e do perito e o seu relacionamento estes 20% era o valor do quadro em segunda mão nas lojas que o tinham.
Volto a lembrar que a companhia nunca falou cmg (isto tem a ver com tudo o que isso implicaria para eles caso o assunto chegasse a tribunal daí este procedimento) não consegui explicar apesar de tentar que só me estava a pagar o quadro e faltava o resto.
6º Três meses após o acidente para fecharem o ano ofereceram-me (por intermédio do meu agente de seguros) mais 50% da proposta inicial ao que respondi não, e que esquecessem o salvado tudo o que lá estava era meu, e que ainda faltava tb a indemnização pelas dores e traumas (sim temos direito), fiz uma reclamação por escrito onde solicitava o valor que achava justo de compensação pelo material e pelas danos físicos e psicológicos.
7º Dois meses dp o meu agente de seguros é contactado pela companhia eles fazem uma proposta (não sei qt ao que ele responde logo que eu não fazia aceitava e eles perguntam-lhe como é que ele sabe) ao que ele responde eu só faço isto pq tenho uma bicicleta igual sei o que ela custa e acho mt estranho isto estar a ser resolvido assim e queria perceber se fosse cmg? a resposta do outro lado foi eu estou a ligar-lhe para resolver isto que já devia estar resolvido há mt e não posso fazer mais nada pois tenho um relatório do perito com um valor de mercado de X,
o meu agente respondeu - Não é possível esse valor é só do Quadro.
Do outro lado responderam pois mas eu tenho um relatório e nada para o contrariar a não ser o vosso orçamento inicial para material todo novo, neste momento a seguradora ao meu agente diz qual a loja em causa e a resposta do meu agente é: - pois mas esse relatório não tem um orçamento dessa loja para uma bicicleta mas sim para um quadro.
Do outro lado mais uma vez disseram eu assim não posso fazer mais nada
7º Dirigi-me à loja em causa solicitei um orçamento para uma bicicleta com o quadro em causa e com os componente similares aos meus (mais uma vez relembro tudo fora de garantia interessa para cada situação) que eles lá tinham e envie-lhes.
8º um mês dp o meu agente liga-me e pergunta se estou disponível para falar com a seguradora pq querem resolver a situação hoje, digo que sim, 15 minutos dp ligam-me, conversamos um bocado eles explicam-me (algo que quem anda nas bicicletas à mt tempo sabe desde os acidentes que nunca aconteceram até material que está na loja estragado que é mudado para aquela bicicleta para encarecer o valor) que nos carros e motos existe o registo de propriedade e nas bicicletas não e que não sabem se aquilo é meu ou não (levaram a resposta o quadro está registado na marca em meu nome e têm uma guia de garantia dele tb em meu nome as rodas têm a factura e o OLX não entra para a conversa pois não passa factura nem dá garantia) em seguida pergunta-me qual o valor pelo que iríamos finalizar a situação eu respondi o valor X e ele disse-me vou-lhe depositar X-y e na próxima semana o meu colega dos danos corporais entra em contacto consigo e finaliza com ele a situação.
9º Dois dias dp tinha o dinheiro na conta, na semana seguinte o restante e duas cartas em casa a dizer que tinham feito as transferências.

O mais importante disto tudo para mim?
O Dinheiro recebido não dá para ter uma bicicleta nova daquela marca, mas dá para ter um topo de gama de outra marca tão boa como aquela mas com menos nome, mas acima de tudo não tenho dores nem traumas psicológicos da pancada que levei e ainda gosto mt de pedalar.

não abdiquem dos vossos direitos.
(Desculpem se fui longo)
 
#17
Obrigado @jcca por partilhares o teu caso. Hoje o perito ligou-me e já ficou agendada a peritagem na loja no início da próxima semana.

Fiquei com algumas dúvidas ao ler a tua partilha:
- quando respondeste à seguradora fizeste por carta com aviso de recepção (para evitar aquele "ups não recebemos nada")?
- o tempo entre contacto por parte da seguradora é imenso (dois meses no ponto 7). Durante este tempo foste "picando o ponto" à seguradora para os pressionar ou ficaste à espera?
- as despesas de saúde só te foram pagas no fim? Foste apresentando as despesas à medida que as tinhas ou juntaste tudo e só entregaste quando ficaste "curado"?
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#18
@jocarreira podes enviar por email. Logo que esteja tudo escrito é que interessa. depois de abrirem o processo só tens que ir respondendo com o ID do mesmo.

É tudo pago no fim a não ser que estejas de baixa devido ao acidente. Ai poderão adiantar se fizeres o pedido. Mas por normal penso ser tudo no final.
 

jpacheco

Moderador
Staff member
#20
Ao pessoal que já teve um acidente:
Acham que ter uma câmara vos poderia ajudar sendo considerada uma prova?
Em tribunal nao sei se é admitido como prova no entanto como as coisas sao tao rapidas nessas situações pode ajudar pessoalmente a documentar o infrator e depois teres os dados para abrir uma queixa na polícia.