Chegou a hora do disco.

#1
http://www.cyclingnews.com/news/tech-colnago-launch-c59-disc

Olá malta,
já repararon que deste passo nos proximos anos as bikes são motas só que o motor é humano!.
Mudanças eletricas com controlo eletronico,travoés idraulicos de disco,GPS com funções biometricas,materias compositos em quase todos os componentes....o que é que falta??....

Eu,pessoalmente não gosto de componentes eletricos na bike sobretudo porqué acho uma complicação não necessaria.Já temos os nossos carros que para ser diagnosticados precisa pessoal da NASA:)....nas bikes gosto a simplicidade.
A respeito aos travões acho boa a idea sobretudo pode resolver os problemas das rodas em carbonio quando chove......a coisa que não gosto é que o nosso material pagos muitos euritos depois pouco tempo fica "velho" porqué a lei do marketing destroi o mercado do usado.....querem vender a bike a um gajo qualquer e isso pergunta."mas não tem o eletrico?"..:))) ......bem mas podem sempre responder que a loja de motas electricas está depois a esquina!!.

abraço

Fabry
 
#2
Para mim, o disco é uma benção no BTT, pois a chuva e a lama, além de destruírem aros e calçoes, perdiam muita eficácia, principalmente em travagens longas.

Na estrada, por muito que puxe pela cabeça, ainda não percebi a vantagem do disco, a não ser no CicloCross.
 
#3
o disco terá algumas vantagens
vem «aligeirar» ainda mais as rodas uma vez que o reforço dos aros na pista dos calços deixa de ser necessária.
pode trazer maior potência de travagem (eu bem vi a diferença de poder de travagem, para os discos+pastilhas, este domingo a descer o montejunto com os aros molhados a 70km/h) o que vem beneficiar conjuntos bike+biker > 100kg mesmo em descidas muito longas

eu não sou contra o disco nas bicicletas de estrada, mas não consigo ver uma graaande vantagem, vai depender do preço.
 
#4
Deve ser impecavel para o drift um travão de disco atrás em dias de piso húmido a curvar em descida ;) até já com os meus travões acho que o traseiro pega demais...
 
#5
Alguma coisa terá de ser feita em termos de travagem nas bicicletas de estrada. Já viram há quantos anos existe o actual sistema? Muito mais agora com os aros em carbono que são um autêntico perigo na hora de travar bruscamente. Agora se será disco ou outro sistema qualquer...
 
#6
são um autentico perigo? não percebi essa. Eu passei de aros de aluminio para aros de carbono e é como andar com um renault megane e passar para um ferrari com discos cerâmicos. não tem nada a ver em termos de potencia de travagem. O único mal é que as pastilhas desaparecem num ápice.
 
#7
Não estou a ver a vantagem do disco pelo seguinte, 1º a maxila fixada num só lado da forqueta, faz tanta força que o mais certo é a forqueta parta de imediato, 2º o aro terá de ter mais raios, porque o que o disco trava é o cubo, que por sua vez e através dos raios transmite o poder de travagem ao aro. Daí que se assim já se partem raios, nem imagino com travão de disco. Para mim não queria nada disso, o sistema que está serve na perfeição.
 
#8
Não estou a ver a vantagem do disco pelo seguinte, 1º a maxila fixada num só lado da forqueta, faz tanta força que o mais certo é a forqueta parta de imediato, 2º o aro terá de ter mais raios, porque o que o disco trava é o cubo, que por sua vez e através dos raios transmite o poder de travagem ao aro. Daí que se assim já se partem raios, nem imagino com travão de disco. Para mim não queria nada disso, o sistema que está serve na perfeição.
ora nem mais, concordo plenamente com as tuas palavras.

para mim uma bik de estrada tem de ser tal e qual como elas estão actualmente, podem sim melhorar em estétia,peso mas fiel as origens :)

abraço ;)
 
#9
Não estou a ver a vantagem do disco pelo seguinte, 1º a maxila fixada num só lado da forqueta, faz tanta força que o mais certo é a forqueta parta de imediato, 2º o aro terá de ter mais raios, porque o que o disco trava é o cubo, que por sua vez e através dos raios transmite o poder de travagem ao aro. Daí que se assim já se partem raios, nem imagino com travão de disco. Para mim não queria nada disso, o sistema que está serve na perfeição.
O facto que Shimano ou SRAM ainda não entram no campo significa que ainda há duvida a respeito dos reais vantajems deste sistema.
Colnago re-desenhou tudo,porqué como é ovvio o sistema de forças envolvidas afectam a forqueta os cubos etc etc....muda tudo.
Como em todas as inovações em minha opinião devemos ver a relação entre vantajems e desvatajems.
Vantajems...bem a possibilitade de reduzir o peso na periferia da roda e logo das massas que rodam?Mais power e major modularidade?..tambem o facto de não aquecer o aro que causa sempre problema com os tubulares pode ser uma vantajem.
Desvantajems....diria o peso do sistema!!..e se calhar não devemos esquecer que vamos com pneus de 23mm,como é que vamos descarregar major força em pneus fininhos?Instabilidade?...não sei estou a falar de uma coisa que nunca esperimentai a não ser na btt ma esta é uma outra maquina!.
Outra chatisse poderia ser que cada vez que desmonto a roda devo centrar o disco outra vez......imagino nas competições quando devem mudar a roda em tempos breves.
Eu tambem são da opinião que tecnicamente na bdc os discos trazem mais complicações que vantajem....e no ciclo cross não me parece que todos andam com discos.Vamos ver o que inventam para lavar a cabeça a gente os proximos anos:)...

ciao
 
#10
se formos rigorosos também é verdade que o aço é melhor que o aluminio e como tal para quê o alumínio titânio e carbono? e para que 11 carretos quando o eddy merckx subia tudo com 5 carretos? e para que travões de disco (no btt) se temos os v barkes?

é óbvio que muita da necessidade é criada artificialmente pelo marketing e pelo facto de cada vez mais gente aderir às novidades, mas se assim não fosse quem pagava aos engenheiros os orçamentos de I&D? e todos sabemos que poucos sistemas são «impossíveis» haja capacidade para inventar e desenhar novos materiais e soluções que permitirão sem qualquer problema usar discos para travar qualquer bicicleta.

tudo vai depender do preço porque em última análise, as pessoas vão acabar por mudar se virem alguma vantagem e se o preço justificar os ganhos de eficiência.

é como os desviadores electrónicos e os medidores de watts; são uma grande melhoria mas quantos de nós gastariamos 5m.€ nessas duas brincadeiras? eu não...
 
#11
tambem concordo.

o preço faz muita diferença na hora da compra, já sabemos que ha muito material bom e até vêmos os grandes nomes do ciclismo a competir com A ou B e disemos "pá, com aquelas rodas na minha bike a que éra...." acho que não podemos ir por esse caminho.

mas aqui cada um é que sabe da sua carteira, é como a treta das bikes de aluminio e as de carbono, cada um compra o que pode outros o que pode e não pode :)

abraço
 
#12
exactamente. no meu caso optei por um quadro de carbono por causa do desconforto que o de aluminio me provocava mas tive que ser mais contido nas rodas e na transmissão.

lá está. eu até experimentei uma de aço e outra de titânio mas muito caras, pelo que tive que optar pelo quadro mais barato e confortável: um de carbono.
 
#13
Sinceramente acho que os meus ultegra já bloqueiam o suficiente a roda de trás se carregados a fundo, maus travões de disco hidráulicos como os que tenho na minha BTT que têm potência de travagem sem progressividade, e vamos andar por aí a fazer drift. O mair drift que fiz foi numa bike de aço com ferraduras, quando o cubo da roda de trás abriu e a roda encostou à escora, ela até deu de lado quando vinha a terminar uma descida (passou de travar mal a travar bem demais:cool:).
 
#15
Boas,

bem, em termos de lesões provocadas pelos discos em caso de "malho", os atletas que os recusam, não se magoarão nas suas próprias bikes, é verdade, mas, quando se "embrulharem", magoar-se-ão nos discos das dos outros. :D
 

Carolina

Well-Known Member
#16
mesmo assim acho que o que os deixa mais de pé atrás é o tempo que demora a trocar de roda. trocar de roda já demora bastante tempo, com disco vai demorar ainda mais. duvido que algum dos ciclistas mais importantes vá usar os travões de disco. talvez o sagan ou o nibali, mas só naquelas provas/etapas em que haja intenção de fazer descidas à morte.
 

lgass

Well-Known Member
#17
alguém que perceba de mecânica e engenharia me pode explicar porque é que ainda ninguém apresentou uma solução de discos entre os raios das rodas?