Festival bike 2017

#21
já foi bom há uns anos valentes (há uns 10) quando as lojas mais pequenas iam à feira para despachar material a preço de jeito. Lembro-me que o BTTerra era um dos stands «obrigatórios» ou a Ribabike de Almeirim.

Agora só vão importadores/lojas grandes e é como alguém disse: os únicos descontos de jeito são na roupa e alimentação.

acho que fui todos os anos (talvez tenha falhado 1 ano) e aquilo tem piorado bastante. Já não conseguem encher os 2 pavilhões.

Só vou porque vivo a 10 minutos do CNEMA
 

Martins

Well-Known Member
#23
Uma pergunta...

A exposição fica longe da estação de comboios?

Uma constatação...

Do que vejo na lista de expositores só se encontra a Specialized, a Coluer(cof cof), uma loja que que vende Scapin e Merida e Vitoria Bikes (cof cof cof)

De resto... muita roupinha e muitos pós para misturar com outros pós para misturar com água em pó.

E a SC Vouga

Ou a coisa melhora ou mais vale ir andar de bike para um monte qualquer

Abraço
 

Carolina

Well-Known Member
#24
O ano passado não faltavam lá as grandes marcas. Num dos pavilhões levavas logo com o expositor da pinarello à entrada! Nunca vi tanta F10 à frente. Até tinham lá para o meu tamanho, só mesmo para meter nojo :(
 

RTC

Moderador
Staff member
#36
Xii...que isto está a ficar tão mau! :(

Lista de marcas de bicicletas, contam-se pelos dedos.
A maioria são expositores de componentes/vestuário e suplementos. Fora os de marcas que não têm a ver directamente com ciclismo.

Mas isto não é só cá. As grandes feiras europeias também estão a perder representantes. A Eurobike por exemplo, ano para ano tem perdido expositores.
 
#38
Quem não quer ir porque não interessa, pode sempre dar a alguem que tenha interesse
Eu no princípio tinha interesse em tudo, agora já só tenho em algumas coisas e algumas marcas, e dentro das marcas, só em algumas gamas ou gama

Resumindo, mesmo que estejam lá os mesmos expositores e marcas, eu vou ver um terço, que é do meu interesse.
 

gfrmartins

Well-Known Member
#39
Qual poderá ser a razão? Que agora as novidades estão a uma distância de um computador/telemóvel com net ?
Acho que não será só isso, claro que isso afecta muito, e ainda por cima sendo nós um mercado pequeno e periférico, mas segundo sei os preços para teres lá um espaço são caríssimos (vi em algum lado uns 700€ por um 3x3), logo aí não existem muitas lojas dispostas a pagar isso, depois é sempre o mesmo formato, as mesmas ideias,

Neste momento praticar preços caros e apostar sempre no mesmo formato na minha opinião não chega, cada vez vai ser pior
 

Bernalve

Well-Known Member
#40
Cá vai um resumo do que aconteceu nas provas deste fim de semana.

Sabado:

Mediofondo Serras. Partia com um objectivo abstrato que pódio na minha categoria era possível, mas nem estava a pensar muito nisso. Na separação dos percursos ficou o campeão nacional Rui Rodrigues M40 mais dois ou três a controlar o ritmo com ajuda de um ou outro de outras equipas, até um deles se meter em fuga (equipa do Rui Rodrigues), mas nunca conseguiu ganhar muita vantagem. O Ritmo baixou consideravelmente e comecei a sentir-me aborrecido até :p
Por outro lado sabia ao mesmo tempo que com uma subida que tínhamos à frente com 900 metros a 12% devia estar quieto e continuar alí aquele ritmo.
Apesar de nas subidas é onde sou capaz de andar melhor, não consigo desenvolver potência em subidas muito inclinadas como faço com as menos inclinadas. Diria que até 10% safo-me, depois disso só ao meu ritmo e é lixado acompanhar quem está só um bocadinho melhor.
Antes dessa subida, havia outra em Rio Maior, mais ao meu estilo, e como estava a sentir-me bem, decidi atacar até apanhar o gajo que tinha fugido, foi o próprio campeão nacional que fechou o espaço, depois voltei atacar de forma mais forte e até exagerada, deixaram-me fugir, e estava a ser giro estar na frente, mas mesmo no final da subida houve lá atrás uma espécie de vários ataques e sprints, até uma queda, e fui apanhado mesmo no topo, o grupo ficou reduzido a 20 ciclistas, e começamos a descer para a grande subida do dia.
Já ia todo lixado depois da espécie de ataque que mandei, por isso fui descarregado nessa subida a 12%, iria ser sempre descarregado btw, ia a 9/10Km/h, o grupo ia a 11/12 km/h, mas foi o suficiente para perder mais que um minuto, mais de 2 minutos para o melhores que foram depois discutir o top5. Sinto-me realmente uma nabo neste tipo subidas mega inclinadas. Tenho de rever aqui algumas coisas.
Fiquei num grupo de cinco, e que roladores que fomos... Fizemos cerca de uma hora e meia a tentar perseguir não sabemos o quê, mas lá apanhamos um grupo de cerca de 10 ciclistas, o que significa que no máximo alí ia-se sprintar pelo 10º lugar, foi pelo 11º. Nesta perseguição, fiz 180 bpm de média. Um dos colegas de circunstância com o power meter fez cerca de 220Watts médios, curioso para saber o NP. Isto durante a tal 1h30m, rolou-se rápido e desceu-se ainda mais rápido, apenas alguns abrandamentos nas subidas, média de 37 km/h mais ou menos.
No final, quando se acelerava para o sprint, uma picada que já vinha a sentir na perna direita transformou-se numa caimbra e a perna prendeu, não foi tá má ao ponto de ter de parar, mas fiquei sem capacidade para pedalar com força, Fiquei em último daquele grupo, 21º geral, 8º elites. O vencedor foi o Rui Rodrigues que chegou com um colega de equipa sozinhos à meta, com 9 minutos de vantagem.

Domingo:

Mediofondo Tejo. Pela primeira vez ia fazer dois dias seguidos com tanta carga, as pernas estava cansadas e fracas, mas quando comecei a pedalar até que fiquei surpreendido, estava até com alguma força.
A prova foi uma pasmaceira, novamente a equipa do Rui Rodrigues a controlar fugas e a pôr um ritmo para o fraco quando não as havia. Iamos a rolar rápido mesmo assim, falta de vento beneficiou muito quem ia na roda que era o meu caso.
A subida a meio do percurso reduziu o grupo a 30/20 ciclistas, 600 metros a 9/10% que depois ainda tinha um pouco de falso plano. Senti as pernas muitas cansadas com o esticão que se fez, mas deu para aguentar no grupo que depois aumentou para 50 ciclistas.
Sou leve, mas o sprint até não é uma coisa onde seja nabo, até acho que onde sou melhor é a sprintar em subidas, por isso tentei ir ao sprint. Aquela loucura da colocação, faz-nos sentir vivos, e é daquilo que eu gosto, ahahah. Estava na roda de um dos colegas com que rolei naquela perseguição do Sábado, mas ele ao meter-se a 700/800 metros da meta na roda de outro ciclista, fiquei de frente para o vento sem protecção, com o comboio do Rui Rodrigues a formar-se do lado direito. Não pensei duas vezes e lancei o meu sprint mesmo alí, entrei na curva a 300/400 metros da meta sozinho. Fui ultrapassado por 11 ciclistas, 5 ou 6 passaram-me mesmo alí nos últimos 50 metros. Terminei em 12º e 2º eleites. Não é a primeira vez que faço pódio na minha categoria, é segunda depois de na 1º edição da bike race ter feito 1º nos sub23, mas como havia pódio para tudo e mais alguma coisa lá subi ao pódio. :)





Para o ano há mais, mas ainda não sei se tenho motivação e capacidade principalmente para fazer um dos grandfondo para o ano, que são triplicamente mais duros que estes medio. Para mim os medios em qualquer grandfondo são mais divertidos.. Sinto que sou capaz de fazer coisas engraçadas e diverti-me, enquanto as 5 horas ou 6 horas de um grandfondo pede outra gestão de esforço que me pode obrigar a abdicar de tentar andar na frente para não correr o risco de fazer as últimas horas a arrastar-me.