Mega Sondagem Legislativas 2022 Forum Ciclismo

intenção de voto do Forum

  • PS

    Votes: 8 12.5%
  • PSD

    Votes: 21 32.8%
  • Chega

    Votes: 5 7.8%
  • BE

    Votes: 2 3.1%
  • CDU

    Votes: 1 1.6%
  • IL

    Votes: 15 23.4%
  • PAN

    Votes: 3 4.7%
  • CDS/PP

    Votes: 1 1.6%
  • Livre

    Votes: 6 9.4%
  • Não vou Votar

    Votes: 2 3.1%

  • Total voters
    64
  • Poll closed .

Negoci8er

Well-Known Member
certo, mas existiu um modelo economico? é isso que eu estou a tentar entender
@Velhadas, vamos imaginar o seguinte:
Ganhas 1000€ por mês.
Tens que pagar:
- 80€ de eletricidade
- 400€ da prestação da casa
- 20€ de água
- 300€ de alimentação
- 200€ da prestação da dívida herdada dos teus pais

Vais fazer um PPR? Outra poupança?
Que modelo de economia familiar vais seguir?
 

Ricardo93

Active Member
Não votei no PS, mas votei à esquerda por reconhecer os progressos feitos desde 2015 e por ser da opinião que a função da AR é dialogar e encontrar consensos.

Assim deixo aqui dois indicadores que tirei do PORDATA e que desmontam a falácia da estagnação e do endividamento. Estou a comparar em todos os quadros a situação Portuguesa com o agregado da UE a 27.

Para estes indicadores escolhi a taxa de crescimento do PIB, onde se observa um crescimento acima da média europeia entre 2016 e 2020, ano em que devido à pandemia Portugal foi especialmente afectado pela "paragem" do Turismo; e a dívida pública em % do PIB, onde se observa uma recuperação desde 2016 até 2020, este indicador demonstra o controlo das contas públicas (penalizando alguns serviços públicos), embora também esteja influenciado pela situação conjuntural de baixas taxas de juro.

Taxa-crescimento-real-do-PIB.png



Divida-P-blica.png

Dito Isto, há ainda muito a fazer: serviços público a serem melhorados e tornados mais eficientes; diversificação da economia portuguesa, retirando a importância do Turismo no PIB; e reforma do sistema fiscal, não faz sentido termos tantos códigos fiscais dispersos que só geram confusão para os contribuintes (individuais e empresariais).

Espero que o PS aproveite esta maioria para fazer reformas, embora não acredite muito nisso.
 

Velhadas

Well-Known Member
@Velhadas, vamos imaginar o seguinte:
Ganhas 1000€ por mês.
Tens que pagar:
- 80€ de eletricidade
- 400€ da prestação da casa
- 20€ de água
- 300€ de alimentação
- 200€ da prestação da dívida herdada dos teus pais

Vais fazer um PPR? Outra poupança?
Que modelo de economia familiar vais seguir?

que isso tem a ver com modelo economico? isso é a realidade portuguesa a muitos anos. Porque pensas que eu basei?

mas a única coisa que eu vi no modelo do ultimo governo do PSD foi vender vender vender. E agora os lucros da EDP enchem os cofres de um privado em vez dos cofres de estado.

PS: nao es obrigado a pagar dividas herdadas dos pais a nao ser que tenhas aceitado pertencer a heranca. Que me corrigam os advogados
 

Negoci8er

Well-Known Member
que isso tem a ver com modelo economico? isso é a realidade portuguesa a muitos anos. Porque pensas que eu basei?

mas a única coisa que eu vi no modelo do ultimo governo do PSD foi vender vender vender. E agora os lucros da EDP enchem os cofres de um privado em vez dos cofres de estado.

PS: nao es obrigado a pagar dividas herdadas dos pais a nao ser que tenhas aceitado pertencer a heranca. Que me corrigam os advogados

Não falo por mim, felizmente não me posso queixar e a minha situação financeira tem prosperado com aumentos salariais e prémios mesmo durante a troika e depois...
A única coisa de que me queixo é do ponto onde estamos como Povo e do ponto onde poderíamos estar.
O exemplo que referi é apenas para exemplificar que quando as contas não permitem, não podemos comprar Ferraris.
 

marcos leal

Well-Known Member
Passos Coelho executou um plano de ajustamento desenhado e assinado entre o Partido Socialista, Uniao Europeia e FMI. se queriam tanto ficar com a EDP (nao podiam, vai contra as regras de concorrencia da EU) podiam sempre nao terem pedido intervencao externa e iniicado o brexit de portugal. porque nao o fizeram? gostaria mesmo de sabe em que situacao estariamos agora. enfim...

ja' agora @Velhadas recorda-nos aqui a todos para que pais emigras-te para fugir as atrocidades da troika? um pais onde imperam as ideias socialista nao e'.... ;)
 

Ricardo93

Active Member
@Ricardo93
Foste tu próprio quem fez esses gráficos? Ou seja, o próprio site permite a construção de gráficos com as variáveis que pretendemos?

Sim. É bastante fácil. O site está construído de forma muito intuitiva. Basta na homepage carregarmos se queremos a análise ao nível Local, Nacional ou da Europa, depois a partir daí é só escolhermos os temas e são logo mostrados os indicadores para esse tema. Após escolhido o indicador podemos escolher que anos queremos ver e que países ou grupos de países queremos comparar.
 

Velhadas

Well-Known Member
Passos Coelho executou um plano de ajustamento desenhado e assinado entre o Partido Socialista, Uniao Europeia e FMI. se queriam tanto ficar com a EDP (nao podiam, vai contra as regras de concorrencia da EU) podiam sempre nao terem pedido intervencao externa e iniicado o brexit de portugal. porque nao o fizeram? gostaria mesmo de sabe em que situacao estariamos agora. enfim...

ja' agora @Velhadas recorda-nos aqui a todos para que pais emigras-te para fugir as atrocidades da troika? um pais onde imperam as ideias socialista nao e'.... ;)

O país é a República da Irlanda que também estava a ser intervencionado pela troika. Nunca usei o termo atrocidades nem pus a culpa na troika, portanto faz o favor de não pôr palavras na minha boca. Queres discutir tentando ridicularizar a opinião de quem não concorda contigo podes sair de fininho que não é esse o tipo de debate que se pretende aqui.
As atrocidades foram mesmo do passos de coelho se queres usar esse termo

Pela definição Tuga a Irlanda tem governo composto de dois partidos centro direita mais um partido ambientalista de tendência de esquerda.
Só que o centro direita aqui não tem a febre de vender propriedade do estado que caracteriza a direita portuguesa

Quanto ao plano que o Passos Coelho assinou ele não incluía a venda da EDP a preco de saldo. E por exemplo na Irlanda não foram cumpridas as risca as instruções da Troika. Era suposto o Governo irlandês ter posto taxas sobre a água e nunca o fez porque a opinião pública foi contra.
O governo Irlandês optou por outro tipo de medidas que aumentassem o investimento externo que foram extremamente bem sucedidas. Em vez de austeridade tiveram aumento substancial do investimento e do apoio do estado a criação de empresas na Irlanda. Nao sairam da uniao europeia por causa disso

Ps: Ja agora tambem te deixo a informacao de que BREXIT é a abreviatura de British exit. Seria um bocado dificil Portugal fazer um Brexit
 

Velhadas

Well-Known Member
Não falo por mim, felizmente não me posso queixar e a minha situação financeira tem prosperado com aumentos salariais e prémios mesmo durante a troika e depois...
A única coisa de que me queixo é do ponto onde estamos como Povo e do ponto onde poderíamos estar.
O exemplo que referi é apenas para exemplificar que quando as contas não permitem, não podemos comprar Ferraris.

tendo em conta que no teu orcamento mensal nao estavas a incluir nem sequer a gasolina, seria dificil ter ate um fiat 500
 

Jazz

Well-Known Member
(nao podiam, vai contra as regras de concorrencia da EU)

Lê-se cada uma, aqui.

O Estado já nem sequer tinha maioria, nessa altura, tinha 20 e tal por cento.

Obrigatório? Não me faças rir. A Troika também queria que vendêssemos a CGD. E não vendemos. Tivemos de sair da UE? Não me parece.


A Three Gorges, só em 3 ou 4 anos depois da compra, já tinha recuperado quase metade do que investiu.

E agora a trapalhada da venda das barragens, que rendeu à Three Gorges mais de 2 mil milhões de euros. A Three Gorges pagou menos de 3 mil milhões de euros pela EDP.

O Passos é um génio, de facto. Génio!

Só no vendeu o país, porque o tirámos de lá a tempo. Por esta altura estávamos a falar espanhol.
 

Jazz

Well-Known Member
O país é a República da Irlanda que também estava a ser intervencionado pela troika. Nunca usei o termo atrocidades nem pus a culpa na troika, portanto faz o favor de não pôr palavras na minha boca. Queres discutir tentando ridicularizar a opinião de quem não concorda contigo podes sair de fininho que não é esse o tipo de debate que se pretende aqui.
As atrocidades foram mesmo do passos de coelho se queres usar esse termo

Pela definição Tuga a Irlanda tem governo composto de dois partidos centro direita mais um partido ambientalista de tendência de esquerda.
Só que o centro direita aqui não tem a febre de vender propriedade do estado que caracteriza a direita portuguesa

Quanto ao plano que o Passos Coelho assinou ele não incluía a venda da EDP a preco de saldo. E por exemplo na Irlanda não foram cumpridas as risca as instruções da Troika. Era suposto o Governo irlandês ter posto taxas sobre a água e nunca o fez porque a opinião pública foi contra.
O governo Irlandês optou por outro tipo de medidas que aumentassem o investimento externo que foram extremamente bem sucedidas. Em vez de austeridade tiveram aumento substancial do investimento e do apoio do estado a criação de empresas na Irlanda. Nao sairam da uniao europeia por causa disso

Ps: Ja agora tambem te deixo a informacao de que BREXIT é a abreviatura de British exit. Seria um bocado dificil Portugal fazer um Brexit
O Passos não é centro direita. É direita profunda, liberal e conservadora.

De PSD tem muito pouco.


De resto, concordo com tudo o que disseste.
 

Velhadas

Well-Known Member
Lê-se cada uma, aqui.

O Estado já nem sequer tinha maioria, nessa altura, tinha 20 e tal por cento.

Obrigatório? Não me faças rir. A Troika também queria que vendêssemos a CGD. E não vendemos. Tivemos de sair da UE? Não me parece.


A Three Gorges, só em 3 ou 4 anos depois da compra, já tinha recuperado quase metade do que investiu.

E agora a trapalhada da venda das barragens, que rendeu à Three Gorges mais de 2 mil milhões de euros. A Three Gorges pagou menos de 3 mil milhões de euros pela EDP.

O Passos é um génio, de facto. Génio!

Só no vendeu o país, porque o tirámos de lá a tempo. Por esta altura estávamos a falar espanhol.
ou chines :cool:
 

Velhadas

Well-Known Member
O Passos não é centro direita. É direita profunda, liberal e conservadora.

De PSD tem muito pouco.


De resto, concordo com tudo o que disseste.
tens razao, de facto ele comportava-sse mais como um PP que um PSD. Mas chegou ao poder com o rótulo de centro direita do PSD
 

Jazz

Well-Known Member
E por exemplo na Irlanda não foram cumpridas as risca as instruções da Troika. Era suposto o Governo irlandês ter posto taxas sobre a água e nunca o fez porque a opinião pública foi contra.
O governo Irlandês optou por outro tipo de medidas que aumentassem o investimento externo que foram extremamente bem sucedidas. Em vez de austeridade tiveram aumento substancial do investimento e do apoio do estado a criação de empresas na Irlanda. Nao sairam da uniao europeia por causa diss.
o.

Excelente. A primeira frase diz logo tudo.

O Passos abriu logo as perninhas. E todo contente.
 

ruy tejay silva

Well-Known Member
encontrei por ai:

"Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado , uma vez, uma turma inteira.
Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário
e "justo".
O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe.
Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames."
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam "justas".
Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria.
Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia 20 valores...
Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores.
Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!
Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos -
eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma.
Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas.
Portanto, agindo contra os seus princípios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos.
O resultado, a segunda média dos testes foi 10.
Ninguém gostou.
Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.
As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da
atmosfera das aulas daquela turma.
A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte
daquela turma.
No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros.
Portanto, todos os alunos chumbaram...
Para sua total surpresa.
O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi o seu resultado.
Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado.
"Quando a recompensa é grande", disse, o professor, "o esforço pelo sucesso
é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros
sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável."

O pensamento abaixo foi escrito em 1931.

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos.
O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém.
Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade,
então chegamos ao começo do fim de uma nação.
"É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931
 

Jazz

Well-Known Member
encontrei por ai:

"Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado , uma vez, uma turma inteira.
Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário
e "justo".
O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe.
Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames."
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam "justas".
Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria.
Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia 20 valores...
Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores.
Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!
Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos -
eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma.
Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas.
Portanto, agindo contra os seus princípios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos.
O resultado, a segunda média dos testes foi 10.
Ninguém gostou.
Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.
As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da
atmosfera das aulas daquela turma.
A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte
daquela turma.
No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros.
Portanto, todos os alunos chumbaram...
Para sua total surpresa.
O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi o seu resultado.
Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado.
"Quando a recompensa é grande", disse, o professor, "o esforço pelo sucesso
é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros
sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável."

O pensamento abaixo foi escrito em 1931.

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos.
O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém.
Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade,
então chegamos ao começo do fim de uma nação.
"É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931
Credo.

1931. Há 100 anos.


Que exemplo de socialismo mais bacoco, desculpa lá.

Mostra-me onde diz em algum lado na esquerda socialista moderada, o que escreveste?


O que é isso? Todos têm igual, sem se esforçarem?

Não sei o que raio é que querias dizer com isso.

Mas uma coisa te posso dizer, isso é tudo menos socialismo. Estás preso a um preconceito bolorento.
 

Negoci8er

Well-Known Member
Volto a dizer que não defendo ninguém, apenas ideologias.
Para mim as empresas devem ser predominantemente de capital privado.
O estado já tem muito onde intervir.
É deixar e dar condições para a economia prosperar.
Preocupam-se com a venda parcial da EDP e meter dinheiro público num buraco como a TAP não se preocupam?

Quando referi que apesar do crescimento, podíamos estar bem melhor. É em relação a estas políticas...
Manter público a qualquer custo!
Fez mais pela economia nacional a Ryanair em 10 anos, do que a TAP a vida inteira.
 

Negoci8er

Well-Known Member
encontrei por ai:

"Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado , uma vez, uma turma inteira.
Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário
e "justo".
O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe.
Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames."
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam "justas".
Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria.
Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia 20 valores...
Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores.
Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!
Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos -
eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma.
Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas.
Portanto, agindo contra os seus princípios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos.
O resultado, a segunda média dos testes foi 10.
Ninguém gostou.
Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.
As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da
atmosfera das aulas daquela turma.
A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte
daquela turma.
No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros.
Portanto, todos os alunos chumbaram...
Para sua total surpresa.
O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi o seu resultado.
Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado.
"Quando a recompensa é grande", disse, o professor, "o esforço pelo sucesso
é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros
sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável."

O pensamento abaixo foi escrito em 1931.

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos.
O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém.
Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade,
então chegamos ao começo do fim de uma nação.
"É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931

Exemplos básicos muito bem dados... é destas a ideologias que fujo na vida.
 

Jazz

Well-Known Member
encontrei por ai:

"Um professor de economia da universidade Texas Tech disse que raramente chumbava um aluno, mas tinha chumbado , uma vez, uma turma inteira.
Esta turma em particular tinha insistido que o socialismo realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário
e "justo".
O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência socialista nesta classe.
Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas dos exames."
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma e, portanto seriam "justas".
Isto quis dizer que todos receberiam as mesmas notas, o que significou que ninguém chumbaria.
Isso também quis dizer, claro, que ninguém receberia 20 valores...
Logo que a média dos primeiros exames foi calculada, todos receberam 12 valores.
Quem estudou com dedicação ficou indignado, pois achou que merecia mais, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado!
Quando o segundo teste foi aplicado, os preguiçosos estudaram ainda menos -
eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma.
Aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que também eles se deviam aproveitar da média das notas.
Portanto, agindo contra os seus princípios, eles copiaram os hábitos dos preguiçosos.
O resultado, a segunda média dos testes foi 10.
Ninguém gostou.
Depois do terceiro teste, a média geral foi um 5.
As notas nunca mais voltaram a patamares mais altos, mas as desavenças entre os alunos, procura de culpados e palavrões passaram a fazer parte da
atmosfera das aulas daquela turma.
A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte
daquela turma.
No fim de contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar os outros.
Portanto, todos os alunos chumbaram...
Para sua total surpresa.
O professor explicou que a experiência socialista tinha falhado porque ela era baseada no menor esforço possível da parte de seus participantes.
Preguiça e mágoas foi o seu resultado.
Sempre haveria fracasso na situação a partir da qual a experiência tinha começado.
"Quando a recompensa é grande", disse, o professor, "o esforço pelo sucesso
é grande, pelo menos para alguns de nós.
Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros
sem o seu consentimento para dar a outros que não lutaram por elas, então o fracasso é inevitável."

O pensamento abaixo foi escrito em 1931.

"É impossível levar o pobre à prosperidade através de leis que punem os ricos pela sua prosperidade.
Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa tem de trabalhar recebendo menos.
O governo só pode dar a alguém aquilo que tira de outro alguém.
Quando metade da população descobre de que não precisa de trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade,
então chegamos ao começo do fim de uma nação.
"É impossível multiplicar riqueza dividindo-a."
Adrian Rogers, 1931


Esse último parágrafo é de ir às lágrimas.

Tiraste do Facebook?

É que o Adrian Rogers nasceu em 1931. A não ser que, como recém-nascido, tenha feito uma reflexão política, estás a citar falsas fontes.


Só falta vires dizer que há ferraris à porta de quem recebe subsídio social de inserção.
 
Top