Speed X Leopard

#2
Independentemente de tudo o que essa bicicleta pode ou não ser/ter/parecer/etc, só quero deixar o alerta de que após a compra e assim que o caixote onde ela virá aterre cá em Portugal, prepara-te para pagar mais uns 30% sobre o valor que pagaste ao vendedor e mais um monte de chatices e tempo gasto para desalfandegar a tua paixão. Mas lá está, a paixão não segue a razão... ;)
 
#6
Mig já eu sou de outra opinião, só depois de testar é que formo opinião, estou sempre aberto a novidades e tenho prazer em ver pessoas/empresas que tentam mudar um pouco os padrões e tentam inovar, este parece ser um dos casos, pois vierem de uma campanha de crowdfunding e ao contrário de muitos projectos colocaram o produto na rua e com aparente qualidade pelo que tenho lido.

Se não houver essa capacidade de se arriscar em produtos novos o mundo não evolui e ainda andavamos de carroça.
 

Martins

Well-Known Member
#7
Há aqui uma coisa que salta à vista: 9,5 kg uma bike de carbono com 105 e rodas de perfil.

Tenho quase a certeza que tem qualidade de construção senão era bem mais leve de modo a ser muito mais apelativa. Era interessante saber o peso apenas do quadro

De resto tenho que confessar que acho muito interessante o conceito que eles introduzem de "smart-bike"

Menos interessante será pagar uma carrada de impostos para desalfandegar e aí a máquina já vai para valores absurdos

Abraço
 
#12
Pois, desconhecia esse ponto de vista. Para mim não há qualquer relação entre uma coisa e a outra, e nem mesmo se meteres o preço nessa avaliação, mas pronto... :)


Sem duvida que a "atitude" desta marca é de louvar, mas torna-se muito menos apelativa em países como o nosso, onde depois levas com uma carrada de impostos e chatices para ter a bicicleta. Mas certamente que eles também sabem disso e não devem estar a contar com grande volume de vendas na UE, pelos menos enquanto não arranjarem um hub/distribuidor europeu (com consequente aumento de preço). Esta marca vai ter maior expressão no mercado do USA onde não há impostos de importação a pagar na grande maioria dos estados, e será esse o grande alvo deles.
 

Martins

Well-Known Member
#14
Pois, desconhecia esse ponto de vista. Para mim não há qualquer relação entre uma coisa e a outra, e nem mesmo se meteres o
Por exemplo:

- Specialized Tarmac S Works - 897 gr
- Cannondale Supersix - 710 gr
- Trek Emonda SLR - 690 g

São três quadros de alta competição extremamente leves e extremamente rígidos, ou seja, com muita qualidade. Mas custam na casa dos 3500,00€ sem desconto

Se é leve e bom é caro.

Mas para ser bom não precisa de ser leve. Pode ser mais pesado e bem mais barato sem comprometer a qualidade.

Mas se for leve e barato alguma coisa não está bem

Seguindo este ponto de vista, se a bike custasse 1500,00€ e pesasse 7,0 kg diria que alguma coisa estaria a falhar. Mas como pesa 9,5 está no nível de uma giant ou merida ou orbea de entrada de gama em carbono equipada com 105. Falo nestas 3 porque foram marcas que pude avaliar recentemente, mas haverá outras dentro destes preços e pesos

O que vem a mais é mesmo o ciclocomputador com sensores

Abraço
 

Jorze30

Well-Known Member
#15
Bem eu sempre desconfiei que dificilmente iria conseguir ter esta bike nas minhas mãos algum dia. Nem passou pela cabeça a cena da alfandega visto q n têm distribuidor Europeu. Mas fica só para dar a conhecer ao pessoal, temos q estar a par das novidades!
 
#16
Martins, já percebi o teu ponto de vista, mas continuo a notar aí uma falha na tua análise... Queres quantos exemplos de bicicletas nessa gama de preço/peso/equipamento em que o quadro não é grande coisa? :D
 

MigC77

Well-Known Member
#17
@marcio, sou completamente a favor da inovação e em muitos casos um early adopter! Podia-te dar n exemplos… tanto em bicicletas como noutras áreas… E tal como tu, para poder ter uma opinião em condições e fundamentada, também acho que só experimentando. Aliás nesse aspecto até costumo ser bastante céptico com a maioria das reviews que se leem por aí, seja do que for…

Em relação a este produto, não vejo grande “inovação”… é o mashup de dois produtos que hoje em dia não se costumam vender integrados. Não inventaram nada novo aliás se bem me recordo já houve outras marcas, assim de repente recordo-me da Canyon, que já tinham apresentado um protótipo de uma bicicleta com um ciclocomputador integrado no avanço. E por falar em Canyon, esta SpeedX é tão inovadora mas ao mesmo tempo tão parecida com uma Aeroad!!!

Basicamente a grande inovação de que estamos a falar é: uma bicicleta de estrada com um ciclocomputador integrado no avanço.

Nunca experimentei, nem sequer estive perto duma… Agora por cerca de 1500€, uma bicicleta com quadro de carbono Toray T800 e T1000, rodas em carbono, ciclocomputador com GPS, etc… Parece-me muuuuuuuuuita fartura, daí o meu comentário do Pai Natal…

Ah e antes que me venham com os argumentos do costume a relembrar-me que é venda directa sem intermediários, que os custos de marketing são muito reduzidos neste caso, que o ciclocomputador é barato de produzir, etc… Antecipo-me e aviso que já pensei nisso… tal como pensei que provavelmente também não tem uma grande produção logo os custos de produção não serão assim tão baixos, nem o preços de componentes de third parties (Shimano por exemplo), etc…

Mas onde deposito mais fé é no funcionamento do ciclocomputador!!! Bug free de certeza ;)

Mas lá está é apenas uma opinião e uma visão… não surpreende que seja contrária à da maioria…
 

MigC77

Well-Known Member
#18
Por exemplo:

- Specialized Tarmac S Works - 897 gr
- Cannondale Supersix - 710 gr
- Trek Emonda SLR - 690 g

São três quadros de alta competição extremamente leves e extremamente rígidos, ou seja, com muita qualidade. Mas custam na casa dos 3500,00€ sem desconto

Se é leve e bom é caro.

Mas para ser bom não precisa de ser leve. Pode ser mais pesado e bem mais barato sem comprometer a qualidade.

Mas se for leve e barato alguma coisa não está bem

Seguindo este ponto de vista, se a bike custasse 1500,00€ e pesasse 7,0 kg diria que alguma coisa estaria a falhar. Mas como pesa 9,5 está no nível de uma giant ou merida ou orbea de entrada de gama em carbono equipada com 105. Falo nestas 3 porque foram marcas que pude avaliar recentemente, mas haverá outras dentro destes preços e pesos

O que vem a mais é mesmo o ciclocomputador com sensores

Abraço
Martins o peso que eles anunciam nem sequer bate certo com o tipo de carbono que eles anunciam que utilizam no quadro. Esse tipo de carbono é usado para fazer as tais bicicletas de topo de gama que são leves e caras.
 

MigC77

Well-Known Member
#20
"os custos de marketing são muito reduzidos neste caso"? Estou farto de ver anúncios a esta bike em vários sites pela net fora...
Claro que sim! Quanto julgas que custa uma campanha online com banners em sites da especialidade??? uma ninharia comparativamente com outro tipo de acções de marketing e publicidade.