Volta ao Algarve 2021

card0so

Well-Known Member
#1
A Volta ao Algarve deste ano, marcada para 17 a 21 de Fevereiro, tem um número record de equipas do World Tour - 14 - num total de 25 equipas inscritas.

http://voltaaoalgarve.com/pt/recorde-de-participacao-worldtour-na-volta-ao-algarve/

Astana-Premier Tech (KAZ)

Bora-hangrohe (GER)

Cofidis (FRA)

Deceuninck-Quick-Step (BEL)

Groupama-FDJ (FRA)

INEOS-Grenadiers (GBR)

Intermarché-Wanty-Gobert Matériaux (BEL)

Israel Start-Up Nation (ISR)

Lotto Soudal (BEL)

Team DSM (GER)

Trek-Segafredo (USA)

UAE Team Emirates (UAE)

Jumbo-Visma (NED)

Movistar Team (ESP)
Caja Rural-Seguros RGA (ESP)

Rally Cycling (USA)
Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel

Efapel

Feirense

Kelly-Simoldes-UDO

LA Alumínios-LA Sport

Louletano-Loulé Concelho

Rádio Popular-Boavista

Tavfer-Measindot-Mortágua

W52-FC Porto.
 

gfrmartins

Well-Known Member
#4
Alguém sabe se vai haver público ou se vão fechar ao máximo o percurso?
Acho que neste momento ainda ninguem consegue responder a isso porque tudo muda rapidamente.

1º Se vai realmente haver prova
2º Havendo prova provavelmente o objectivo é reduzir ao maximo o numero de expectadores e agromarados de pessoas tendo em conta a pandemia que vivemos
3º Mesmo não fechando o percurso, as indicações serão para reduzir ao maximo aglomerados
 
#5
Acho que neste momento ainda ninguem consegue responder a isso porque tudo muda rapidamente.

1º Se vai realmente haver prova
2º Havendo prova provavelmente o objectivo é reduzir ao maximo o numero de expectadores e agromarados de pessoas tendo em conta a pandemia que vivemos
3º Mesmo não fechando o percurso, as indicações serão para reduzir ao maximo aglomerados
Cada dia é um novo dia... ainda para mais com a situação de pandemia atual mas mesmo assim, perante as provas dadas:
Em Portugal, no Algarve, a realização da F1 e MotoGP ( e a isto refiro-me não ao serviço principal mas periférico como a restauração e hotelaria);
A modalidade, o ciclismo, com a rápida e com sucesso adaptação da transata época ( realizaram-me em contexto de pandemia todas as provas importantes do ciclismo).

Acredito assim que pela necessidade da realização desta prova para a região e os demais setores, bem como a responsabilidade organizacional e social que o ciclismo já demonstrou neste contexto, que a prova se irá realizar sem constrangimentos logísticos. Em relação ao público, deverá certamente ser tomada idênticas medidas ao realizado com a Volta a Portugal, claro que é impossível controlar que haja pessoas em todos os km' da prova.

Portugal, o ciclismo, o Algarve precisa desta prova!
 

gfrmartins

Well-Known Member
#8
Esperemos que sim, que se realize.

Mas além da situação que se poderá viver em Portugal (muito muito grave) que pode obrigar a proibição de qualquer evento, de estado de emergência, ter que ter todas as unidades de saude, ambulancias, etc em prontidão e não em auxilio à prova, é também a situação por todo o mundo (grave muito grave)com a dificuldade que pode haver em deslocações, proibições, etc

Uma coisa é nos grandes tours, outra coisa é a Volta ao Algarve.

Mas esperemos que sim, que se realize e em segurança
 

jpacheco

Well-Known Member
#10
Não sei... sinceramente não sei. Estamos a pagar a fatura do aliviar das medidas no Natal, não sei quando começará a tendência de descida...
Nos próximos 2 dias já conseguiremos ver a tendência da curva. Se continuar a subir é fechar os portugueses em casa durante 15 dias...se mantiver e/ou baixar ligeiramente, pode ser sinal dos poucos testes feitos nos periodos do natal e ano novo. Agora os números sobem porque a curva foi martelada devido a esses dias. Já se vai perceber daqui a uns dias.

A capacidade de internamento está nos picos iguais ao periodo de inicio de dezembro, há claramente uma subida e uma procura dos hospitais. A questão aqui é saber a real capacidade hospitalar e saber se ha possibilidade de requisição dos privados. Podendo desta forma evitar um lockdown generalizado.
 

NULL

Moderador
Staff member
#11
Nos próximos 2 dias já conseguiremos ver a tendência da curva. Se continuar a subir é fechar os portugueses em casa durante 15 dias...se mantiver e/ou baixar ligeiramente, pode ser sinal dos poucos testes feitos nos periodos do natal e ano novo. Agora os números sobem porque a curva foi martelada devido a esses dias. Já se vai perceber daqui a uns dias.

A capacidade de internamento está nos picos iguais ao periodo de inicio de dezembro, há claramente uma subida e uma procura dos hospitais. A questão aqui é saber a real capacidade hospitalar e saber se ha possibilidade de requisição dos privados. Podendo desta forma evitar um lockdown generalizado.
Sim, creio que essa análise está correta. Concordo.
 

Velhadas

Well-Known Member
#12
Nos próximos 2 dias já conseguiremos ver a tendência da curva. Se continuar a subir é fechar os portugueses em casa durante 15 dias...se mantiver e/ou baixar ligeiramente, pode ser sinal dos poucos testes feitos nos periodos do natal e ano novo. Agora os números sobem porque a curva foi martelada devido a esses dias. Já se vai perceber daqui a uns dias.

A capacidade de internamento está nos picos iguais ao periodo de inicio de dezembro, há claramente uma subida e uma procura dos hospitais. A questão aqui é saber a real capacidade hospitalar e saber se ha possibilidade de requisição dos privados. Podendo desta forma evitar um lockdown generalizado.
Irlanda já está em lockdown total. A coisa está bem feia aqui. Passamos de 300 casos diarios antes do natal para 7900. A nova estirpe ja representa já mais de 50% dos casos
 

mussulo

Well-Known Member
#14
Tenho familia nos UK, e não está melhor, lockdown até +/- meio de Fevereiro, mas falam em rumores para ficar o pais "fechado" até perto de Abril, altura em que já começa a existir alguma imunidade de grupo.

Cá pelo burgo, hoje batem-se recordes, de mortes e números de casos... resultado dos "alívios" de Natal e PDA?
 
#15
Irlanda já está em lockdown total. A coisa está bem feia aqui. Passamos de 300 casos diarios antes do natal para 7900. A nova estirpe ja representa já mais de 50% dos casos
Tenho familia nos UK, e não está melhor, lockdown até +/- meio de Fevereiro, mas falam em rumores para ficar o pais "fechado" até perto de Abril, altura em que já começa a existir alguma imunidade de grupo.

Cá pelo burgo, hoje batem-se recordes, de mortes e números de casos... resultado dos "alívios" de Natal e PDA?
Até aí somos zés azenhas... A nova estirpe não tem ainda clarificadas evidências que possam definitivamente comprovar uma tendência infeciosa diferenciadora perante outras variantes do vírus já identificadas. A mesma, segundo os peritos do Reino Unido, foi detetada em setembro. Um pequeno exercício e basta ver quantos britânicos andavam por Europa fora e até dentro da região, a aproveitar os últimos cartuchos do verão.
Depois... o vírus de facto contagia perante o número de medidas preventivas existentes e basta ver a diminuição das medidas para reparar no contraste crescente da curva de novas infeções.
E aconteceu no Reino Unido como aconteceu em outros tantos países. Na República Checa, país que pessoalmente conheço bem, tiveram uma resposta pronta perante a primeira vaga da covid-19: fecharam tudo à primeira instância durante dois meses e foram de Maio a Setembro, um país praticamente livre da covid-19: uso de mascara apenas em zonas fechadas, discotecas e bares abertos sem medidas especiais e total circulação de pessoas, resultado? De repente, em Setembro tornam-se numa catástrofe. Não existiam medidas preventivas, não existia forma de conter o vírus.

Em Portugal depois de um início de outono descontrolado e preocupante, as medidas de circulação, horários e afins demonstraram uma redução da curva que "inevitavelmente" teriam que ser quebradas pela nossa cultura e costume familiar de celebrar o Natal. O Alentejo foi até à época natalícia uma região ainda mais esquecida durante o período de pandemia porque os casos eram nulos. Tal paradigma mudou completamente e não é preciso dizer o porquê.
É necessário fechar agora de vez, não porque a situação é deveras de catástrofe, porque até partilho da ideia de alguns números serem casos correntes do Natal e PDA, mas sim porque é a medida mais preventiva no momento para evitarmos cair numa bolha dificilmente de ser resolvida.
15 dias poderão ser suficientes para que se possa posteriormente começar de novo o processo de abertura de setores. Não considero correto é evidenciar um crescimento de casos perante a nova variante, não creio que seja a opção mais ética perante as irresponsabilidades políticas e sociais cometidas.
 

Velhadas

Well-Known Member
#16
Até aí somos zés azenhas... A nova estirpe não tem ainda clarificadas evidências que possam definitivamente comprovar uma tendência infeciosa diferenciadora perante outras variantes do vírus já identificadas.
Lamento mas essa informação é falsa. Está estimado num incremento de 70% a capacidade do virus se desseminar. Quanto a Zé azenhas nao faço ideia o que quer dizer com isso mas gostava que me esclarecesse
 

Nuno

Well-Known Member
#19
Pois em maio perde a grande vantagem de em fevereiro, o tempo no Algarve estar melhor do que em qualquer outro sitio da Europa.
Mas era inevitável que adiassem, esperemos que em maio ja hajam condições e logo se vê que equipas vêm.