VAM e dados de potência "dos pros"

DMA

Well-Known Member
#1
Crio este tópico para colocarmos dados de VAM e dos medidores de potência "dos pros" em competição ou treino.
Assim tentamos não entupir os tópicos sobre as provas com debates sobre W/kg e assuntos relacionados.

Se a moderação achar que não é conveniente aceito perfeitamente.
 

DMA

Well-Known Member
#2
Para abrir as hostilidades ...
Dados do Greg V. Avermaet:

http://www.srm.de/news/road-cycling/2015-tour-de-france-stage-13/

A summary of the demands of the stage are shown below. In the final 15km Greg averaged 391W for just under 19 minutes and made 5 efforts >1000W in the final 10km to stay in contention with the leaders. For his winning attack on the final 600m/9% climb to Rodez he achieved a peak power of ~1350W and averaged over 900W for the final minute of the stage. This perhaps explains why he was able to hold off Peter Sagan all the way to the finish line

Duration : 4h 44min

Av Temperature : 38°C

Av Speed : 41 kph

Max Speed : 86 kph

Av Power : 260W

Peak Power : 1354W

Av Cadence : 87 rpm

Av Heart Rate : 117 bpm

Peak Heart Rate : 174 bpm
 

DMA

Well-Known Member
#4
Uma outra questão.

Outro dia com os rumores que o Joni tinha feito 6,7 W/kg no Monte Farinha já se colocavam comparações com o Froome na etapa 10, com o Quintana no Alp de Huez. E até vi o nome do Pantani ao barulho!
Os valores como viu-se usando o tempo do Mestre em 2014 com um PM eram um exagero.
E o Joni foi inserido num grupo, não foi na cabeça do grupo.

Mas há um factor que também foi excluído e que é importante.
Nos dados do Gesink na etapa 10 eles atingem 1600m (no Alp d' Huez penso que vão acima dos 1700 m).
No Monte farinha vai-se aos 850m (algo do gênero).
Não esquecer que a fórmula do Ferrari não incluí essa nuance, mas ele referenciou claramente que a altitude é um factor a ser obrigatoriamente considerado nas comparações entre VAM.

http://www.53x12.com/do/show?page=article&id=74

It is therefore opportune to consider also the average altitude of the climb when comparing VAM's obtained at different elevations; the intrinsic values of a VAM done on a climb starting at 200m asl and ending at 1200m asl (average altitude of 700m) and one done on a climb starting at 1000m asl and ending at 1800m asl (average altitude of 1400m) will differ greatly.

A difference in average altitude of 700m means a reduction of PpO2 of 8%.
In reality the performance on the road will "only" decrease by about 5%, because of a more rarefied air that reduces air drag for the cyclist and friction in respiration (less dense air).

I think it is reasonable to evaluate an average reduction in VAM values by approximately 3% every 500m of elevation, while still considering individual variations due to efficiency in pulmonary gaseous exchanges.
 

DMA

Well-Known Member
#9
Os puros sprintes batem de certeza o GvA em uma chegada plana clássica.
A fantástico destes excelentes corredores de clássicas (Sagan, Cancellara, entre outros) é que conseguem despejar valores consideráveis num esforço final, mesmo depois de etapas complicadas, desgastantes, com fugas, ataques, acelerações constantes, perseguições.
Penso que nesta etapa o GvA esteve numa fuga.
Coloquem em contexto ... fuga, 15 min finais com 391 w de média, com 5 puxadas acima de 1000 W pelo meio ... aquelas perninhas devem acabar num estado deplorável ...
E realmente o Sagan bem que tentou mas não chegou lá; não foi por acaso.
 
#12
Mas +e muito estranho que o GvA faça 900watts e esse ciclista acima se fique pelos 700w. Provavelmente nao estaria na melhor forma, esses ciclistas acredita que sejam capazes de andar nos 1000watts durante 1 minuto.
 

Carolina

Well-Known Member
#17
há que ter em atenção que a vuelta foi bem mais dura. na etapa 11 por exemplo, é normal os valores serem mais baixos na última subida porque antes disso tiveram várias subidas monstruosas.
 

Bernalve

Well-Known Member
#19
vou fazer de ignorante e não vou procurar na net porque não vou perceber o que lá vai estar escrito: o que indicam esses dados e como são calculados?
A partir da formula do Ferrari que penso que poucas pessoas sabem ao certo qual é, pelo menos eu não sei, penso que as variáveis que ele usa é o tempo de subida, inicio e fim da altitude da subida e percentagem da subida.

Mas a forma mais básica de calcular estes W/kg é dividir a média de Watt´s feitos por um ciclista pelo seu peso.