qual a velocidade maxima que ja atigiram??

#22
joao baixa a bola se nao jafoste eu ponho te de castigo.................. eu o dei meu max na outra bike 87 kmhnesta nunca experimentei............. vou a deixar pa barragem de sandim pa crestuma
 
#23
Pessoal a limitação de velocidade está na nossa cabeça e não na física!

Mecânica e tecnicamente as bicicletas estão preparadas para velocidades elevadas, agora o nosso medo é que nos limita.

A adrenalina e a ânsia de bons resultados em competição faz milagres! :D

Boas descidas
 
#24
A minha velocidade máxima em cima de um veículo de duas rodas sem motor auxiliar até aos dias de hoje é de 81.9 kms/h.
Confesso que gostaria de dar mais um bocado de velocidade.;)

Filipe
 
#25
va agora tudo me quer de castigo??ai ai ai ai,ja nao tou a gostar,mas eu agora sou um menino bonito.
passando a frente,georcz tens toda a razao eu penso igual e a limitaçao e totalmente psicologica..as bicicletas pra mim e o ultima coisa a ceder...quando dei os 101kms/h foi de uma adrenalina do outro mundo,parecia que voava..
abraço
 
#26
Lamento se vos desiludo mas, de facto, as leis do movimento de Newton limitam a velocidade máxima. Nem que se atirem de bicicleta do alto da torre Eifel com a maior das coragens há um valor de velocidade que não conseguirão ultrapassar. E ainda podem montar um propulsor na bicicleta!
 
#28
AXIOMAS OU LEIS DO MOVIMENTO


LEI I

Qualquer corpo permanece no seu estado de repouso ou de movimento uniforme em linha recta, a menos que seja compelido a modificar o seu estado devido a forças nele impressas.

Os projécteis preservam os seus movimentos, enquanto não forem retardados pela resistência do ar ou impelidos para baixo pela força da gravidade. Um pião, cujas partes, devido à sua coesão, se desviam perpetuamente de movimentos rectilíneos, não cessa a sua rotação, a não ser que seja retardado pelo ar. Os corpos maiores, como os planetas e os cometas, encontrando menor resistência nos espaços mais livres, preservam os seus movimentos progressivo e circular durante mais tempo.


LEI II

A alteração do movimento é sempre proporcional à força motriz imprimida; e faz-se na direcção da linha recta segundo a qual essa força é impressa.

Se qualquer força causa um movimento, uma força dupla causa um movimento duplo, uma força tripla causa um movimento triplo, quer essa força seja impressa conjuntamente e de uma só vez, quer gradual e sucessivamente. E esse movimento (sendo sempre orientado segundo a força geratriz), se o corpo se encontrava em movimento, é adicionado ou subtraído ao movimento anterior, caso concorde directamente com ele ou sejam directamente contrários entre si; ou juntando-se-lhe obliquamente, quando forem oblíquos, de forma a produzir um novo movimento composto segundo a resolução de ambos.


LEI III​

A qualquer acção existe sempre oposta uma reacção igual; ou, as acções mútuas de dois corpos entre si são sempre iguais, e dirigem-se a partes contrárias.

Tudo o que puxa ou aperta o outro é igualmente puxado ou apertado por esse outro. Se apertar uma perda com o seu dedo, o dedo é igualmente apertado pela pedra. Se um cavalo puxa uma pedra amarrada por uma corda, o cavalo (se eu o posso dizer) é igualmente puxado pela pedra: pois a corda esticada, pelo mesmo esforço com que afrouxa ou distende, tanto irá puxar o cavalo em direcção à pedra como a pedra em direcção ao cavalo, e irá obstruir a progressão de um, tanto quanto faz avançar o outro.

Se um corpo colide com outro e, pela sua força alterar o movimento deste último, esse corpo irá sofrer uma alteração igual, no seu próprio movimento, na direcção das partes contrárias (devido à qualidade da pressão mútua). As alterações produzidas por estas acções são iguais, não nas velocidades, mas nos movimentos dos corpos, isto no caso de os corpos não se encontrarem impedidos de outro modo. Com efeito, uma vez que os movimentos são igualmente alterados, as alterações das velocidades, efectuadas em direcções a partes contrárias, são reciprocamente proporcionais aos corpos. Esta lei verifica-se também nas atracções, como será provado no próximo escólio.

Qual das três leis se encaixa melhor na tua observação, tendo em conta que 80% da energia gasta por um ciclista é para vencer a força do atrito ao ar?

Presumo que te refiras ao que está a vermelho na lei 1.
 
#29
ok, vamos colocar divergências antigas de lado e abordar o problema racionalmente.
A resposta do GeoRCZ foi rápida. Saliento o mérito de ter tentado fundamentá-la. Mas a interpretação está errada. A minha resposta é mais curta porque os princípios da física a que me refiro fazem parte do meu dia-a-dia. Não preciso ir à bibliografia.

Vou tentar uma explicação simples:
De acordo com a segunda lei de Newton, a velocidade aumenta enquanto o somatório das forças aplicadas é positivo, isto é, enquanto as forças favoráveis são superiores às forças que se opõem ao movimento (Força = massa x aceleração).
As forças em jogo são: força de propulsão (fornecida pelas pernas), força gravitica (quando há inclinação), força de atrito entre o pneu e a estrada e força aerodinâmica (na qual incluo a do vento).
A força de propulsão tem um valor máximo, a força gravítica é determinada pela inclinação do terreno (é um valor constante para cada inclinação). A força de atrito e a de resistência aerodinâmica aumentam com o quadrado da velocidade.
Assim, à medida que aceleras as forças que se opõem ao movimento aumentam até que igualam as forças favoráveis. Nessa altura, a primeira lei de Newton diz que a velocidade se mantém constante. Esse é o valor máximo que podes atingir. Se te atirares da torre Eiffel a força gravitica é a maior possivel e é igual ao peso da bicicleta com o ciclista em cima. Não é ilimitada!
É assim com qualquer corpo em movimento.

Agora uma explicação por absurdo: há algum veículo que tenha uma velocidade ilimitada?
 
Last edited:
#30
ok, vamos colocar divergências antigas de lado e abordar o problema racionalmente.
Não sei a que te referes! Provavelmente estarás a fazer confusão com outro user deste fórum!

Tendo em conta que as forças em jogo são a propulsão (até à perda de capacidade de pedalada por falta de desmultiplicação), a força gravitica (inclinação da descida) e o atrito ao ar (que não existe num cone de ar gerado pelo veiculo que segue na frente do ciclista), existindo ainda um efeito de sucção pelo movimento convergente do ar.

Sendo assim é possivel atingir as velocidades que estamos aqui a discutir, penso eu de que...
 
#31
tanta coisa pra dizer que a velocidade é limitada?????ah ta bem..pronto tou esclarecido.o problema e que eu perguntei neste topico qual foi a velocidade maxima que ja atingiram e nao se havia alguma lei (fora a policia lol) que nos impedia de passar o limite de velocidade estipulado por outras razoes..eu sinceramente gosto bastante deste debate apesar de demorar 2 horas a ler calmamente e a perceber a mensagem que o nosso amigo georcz nos tenta passar..mas nao vamos entrar em discussoes e digamos a velocidade maxima que ja atingimos em cima da nossa bicicleta,seja ela 20 ou 120.obrigado.
abraço
 
#32
acho que tens razao no que dizes georcz..com condiçoes especialmente criadas e podemos atinjir sem problemas as velocidades de que aqui se fala..mas se calhar esta ideia nao e para todos..
abraço
 
#33
É claro que se podem atingir as velocidades que referiram. Até mais elevadas.
Mas eu estou a responder à observação feita pelo GeoRCZ que as leis da física não limitam a velocidade máxima:

Pessoal a limitação de velocidade está na nossa cabeça e não na física!

Mecânica e tecnicamente as bicicletas estão preparadas para velocidades elevadas, agora o nosso medo é que nos limita.
...
 
#34
ALNM estava a referir-me a velocidades até 200 km/h e não a situações inconcebíveis e inimagináveis!

"Para quem acha que uma coroa com 55 dentes ainda é pouca coisa, talvez essa abaixo sirva. Obrigado ao Sandro Warich pelo texto e fotos - publicados originalmente em http://magliarosa.wordpress.com/?s=meiffret





Jose Meiffert foi um ciclista que estabeleceu um recorde mundial de velocidade sobre bicicleta em 16 de julho de 1962, na cidade de Freiburg, Alemanha: 204,73Km/h.
O recorde foi alcançado no vácuo de um automóvel (Mercedes 300SL) movendo um pratinho de 130 dentes e rodas de madeira (não existia carbono)..."


Historia completa em: http://maxkonabikes.blogspot.com/2010/05/historias-de-ciclismo.html
 
Last edited:
#35
alnm eu entendo o que o georcz diz.as bicicletas aguentam estas velocidades sem se desmantelarem,sem sofrerem qualquer lesao que pudesse por em risco a nossa vida,pois esse e o medo de todos nos,que a bicicleta se desmanche ou aconteça seja la o que for e a gente nao quer ver a vida a andar para tras.e a limitaçao na cabeça a que o georcz se refere e em velocidades que nada tem a ver com esses limites fisicos a que te referes,estamos a falar em chegar aos 60kms/h ou 80kms/h..o que para muita gente ja e uma velocidade louca e tem medo,so isso.
abraço
 
#36
Através das vossas respostas (alnm) e (georcz) já se aprendeu aqui qualquer coisa esta tarde, ou pelo menos recordei alguns conceitos.
Não querendo tirar seriedade ao assunto tive que me rir que nem um louco com a imagem daquela menina com um prato de 130 DENTES.

Obrigado pela vossa partilha e por um pouco de mais informação

Abraço

Filipe
 
#37
Ok, concordas então, GeoRCZ, que as leis da física limitam a velocidade máxima.

Só é inconcebivel e inimaginável o que viola as leis da fisica.

Mas, mesmo os 200 km/h que pretendes dizer que são concebiveis e imagináveis, só são possiveis de atingir em condições muito especiais que não têm nada a ver com as que encontramos na estrada. Vê, por exemplo, o que é necessário para se atingirem 244 km/h: http://www.canosoarus.com/08LSRbicycle/LSR Bike01.htm.

Joao49: percebo perfeitamente o que dizes mas este forum é para ser lido por toda gente. É meu principio ético-profissional fazer a correcção àquela observação.
 
#38
ALNM é óbvio que as leis da fisica limitam a velocidade máxima, mas nunca coloquei isso em questão!

Talvez tenha utilizado a palavra errada e devesse ter escrito mecânica em vez de física, mas na verdade a mecânica é a parte física. Certo?
 
Last edited:
#39
Sim, a mecânica é o ramo da física que estuda o movimento. Por isso as leis da mecânica são as da física. Ou seja, continuavas errado se tivesses dito "leis da mecânica".
Mas acho que não vale a pena eu continuar em off-topic. Já ficou claro que falavas em sentido figurativo.