Mais um ciclista morto em acidente

FSilva

Moderador
Staff member
#3
Verdade! Acho que por mais campanhas e ações de sensibilização que sejam feitas infelizmente vamos continuar a ter estes casos
 
#4
Algo de muito errado se passa neste país, basta ver a caixa de comentários sempre que a GNR ou PSP mete um post no facebook acerca de "ciclistas" ou "distância de 1,5m"....

Já disse e volto a repetir, não percebo como andamos a gastar milhares de euros em biciletas e roupas, centenas a ir a granfondos e afins, patrocinamos ex-atletas para irem a provas/passeios no estrangeiro, damos dinheiro a tantas marcas e lojas relacionadas com a modalidade, e não nos conseguimos unir pela coisa que deveria ser a 1a prioridade de todos independentemente de serem KOM's no strava ou pedalarem 10km ao fds: PEDALAR EM SEGURANÇA...

Quando falo em medidas refiro-me a isto: as autoridades e os lobbys automobilizados alegadamente para aumentar a segurança nas estrada propõe 2 medidas:
1. obrigatoriedade de capacete
2. maior fiscalização aos ciclistas (semáforos, iluminação, etc)

Infelizmente as mortes de ciclistas, e só falando deste ano, demonstram que a causa para estes tristes desfechos está no comportamento NÃO do ciclista mas SIM do automobilista.Ou seja andamos a discutir medidas que não ou muito pouco irão fazer para aumentar a segurança de quem não utiliza o automóvel.

Coisas simples, exequíveis e baratas que se podem fazer em minha opinião é:
- multiplicar a sinalização vertical a alertar para a presença de ciclistas nas Estradas nacionais e afins,(exemplo S. Brás de Alportel)
- aumentar a fiscalização não nos ciclistas mas sim nos automobilistas sobretudo aquando de ultrapassagens de ciclistas. Basta as autoridades se montarem no bicicleta para sentirem na pele a agressividade dos nossos condutores
- limites de velocidade mais adequados em algumas zonas e garantir o seu efetivo cumprimento (exemplo Estrada Marginal)

Muitos dirão que é pouco. eu digo que por muito pouco que seja já seria mais do que se tem feito.
 
#5
Isso é tudo muito bonito mas não sei porque razão estás a tirar os ciclistas do pacote, quem não respeita é lógico que não merece ser respeitado, os sinais vermelhos são para parar como param os carros e as motas, os passeios são para as pessoas circularem em segurança e não para terem de levar com bicicletas a abrir pelo meio delas. Também há muita ***** nas bicicletas não é só anjinhos.
 

gfrmartins

Well-Known Member
#6
quem não respeita é lógico que não merece ser respeitadoQUOTE]

Não consigo perceber esta mer** de logica quando o que está em jogo são VIDAS HUMANAS, o que é que isto tem a ver com o resto?

Estás a dizer que os automobilistas são respeitadores das regras? Estás a dizer que os peoes são respeitadores das regras? Não, não são, assim como nem todos os ciclistas o são, mas o que é que isso tem a ver com a perda de vidas humanas?

Quais são as consequencias de não respeitar? Quem é que sofre mais? Isto agora é olho por olho? Ahhh existem ciclistas que não respeitam regras enttão pela tua logica que sejam atropelados pois não são respeitadores.

enfim, vai sempe dar ao mesmo esta discussão
 

gfrmartins

Well-Known Member
#8
Se foi isso que tiraste das minhas palavras ...
Foi,

Aqui ninguem acha que os ciclistas são uns santos e cumprem todas as regras.

Mas falas de respeito? Quando o que está em causa é mais uma morte? Alias a morte de pessoas quase diariamente por isso mesmo, falta de respeito na Estrada.

Aqui não se trata de respeito pelos ciclistas ou peoes ou consdutores, trata-se de respeito por VIDAS HUMANAS

E vires dizer que não merecem respeito porque não respeitam, quando a falta de respeito origina estas mortes, enfim
 

GMQ

Well-Known Member
#9
Tudo aquilo que tu dizes é certo e correcto. Não descarto que por vezes nós ciclistas também podemos contribuir para algumas fatalidades. É certo que a existência de mais elementos sinalizadores seria benéfico. No entanto, muitos ciclistas andam na rua como se verdadeiras àrvores de natal se tratassem tal é o número de luzes e elementos sinalizadores que levam. Todavia, penso que o problema está todo na mentalidade do condutor médio português. Lamentavelmente, a bicicleta ainda é vista como um veiculo menor que não está em posição de igualdade com os outros veiculos que circulam nas vias publicas. Basta pensarmos que regra geral nunca nos conferem prioridade, se vamos a circular em via com traço continuo temos que nos encostar para dar passagem, etc. Mas isto é dificil conseguir-se de uma dia para o outro e talvez numa evolução da nossa sociedade tal entendimento estará plasmado nas nossas mentes.
Para finalizar, concordo contigo que devemos começar por algum lado e pode ser esse que indicas. Acrescento uma campanha de prevenção a nivel dos meios de comunicação socidal e nos dias que contam o sitio onde toda a gente dá atenção ao mundo as redes sociais. Não basta só vermos essa prevenção nas revistas da especialidade, porque o seu público alvo são os ciclistas, os mesmos que são objecto da agressividade da maioria dos condutores, tem que ser mais abrangente. Até lá iremos continuar a levar com razias, apitadelas, toques, etc
Abraço
 

GMQ

Well-Known Member
#11
Amigo Alexandre não vamos isentar responsabilidades de parte a parte. Há muito ciclista a colocar-se a jeito. No entanto, vislumbro mais desrespeito da parte dos condutores. Demónios e Santos há em todo o lado, no entanto, não podemos ve-los só de um. Se fores ver as noticias sobre acidentes com ciclistas chegas a essa conclusão. "Uma andorinha não faz a primavera..."
 

klaser

Well-Known Member
#12
Como disse um outro, um ciclista que não cumpre o código é um suicida , um automobilista que não cumpre o mesmo é um homicida...taí a diferença....
 
#13
Dando de barato que a culpa dos acidentes com ciclistas pode ser deles ou dos condutores dos outros veículos, independentemente disso, que está a acontecer é inevitável. O número de ciclistas na estrada tem-se multiplicado de forma muito evidente, donde resulta que o número de acidentes com ciclistas também aumenta. Acontece o mesmo com os automóveis: quantos mais circulam, mais acidentes existem. É claro que no caso dos ciclistas os acidentes têm tendência a provocar ferimentos mais graves ou a morte, por força das próprias circunstâncias. A convivência de ciclistas e automóveis nas mesmas estradas é cada vez mais difícil. Mas é claro que há também uma situação de persistente falta de respeito pelos ciclistas, por parte de muitos condutores, que os encaram como intrusos e obstáculos que é necessário ultrapassar a qualquer custo.
 
#14
Não é apenas por ser pai de filho ciclista que bato na mesma tecla. É como cidadão, que diariamente se move a pedais e que não pode ficar indiferente à contínua onda de atropelamentos de pessoas que circulam de bicicleta na estrada. Todas as mortes me deixam triste.

Embora as regras de trânsito tenham sido (pouco) reformuladas na protecção dos utilizadores vulneráveis da estrada, é um pressuposto falso se repetir que o automobilista deve ter a supremacia na via pública porque o veículo que conduz é mais rápido. Não é o tipo de veículo que regula a ordem nas estradas. As leis de trânsito deverão ser ponderadas para controlar um determinado tipo de veículo, para criar ordem e cooperação entre os diferentes utilizadores da estrada. A maioria dos acidentes rodoviários é causada pelo desrespeito constante das regras de trânsito, negligência e desatenção dos automobilistas. Independentemente do tipo de veículo, o desrespeito individual nas estradas tem correspondência na maior probabilidade de ocorrerem acidentes, o que responsabiliza também todos os que partilham a estrada, como os peões e os ciclistas.

Com o aumento das bicicletas nas estradas, temos de intensificar a discussão, no bom sentido, de como as leis de trânsito deverão ser cumpridas. Mas a questão não é a quantidade de bicicletas a circular nas estradas. A questão essencial do problema é como educar os automobilistas. Os números assombrosos dos acidentes rodoviários, atropelamentos e das vítimas mortais resultantes são assustadores. A revisão de algumas das regras da estrada (CE de Janeiro de 2014) visou proteger os utentes mais vulneráveis. O CE deu mais direitos aos ciclistas mas veio também responsabilizar mais o utilizador da bicicleta, na sua conduta e no respeito das regras. Ao estabelecer a regulamentação do cumprimento do 1,5m de espaço nas ultrapassagens aos ciclistas, por exemplo. No entanto continua a exigir aos automobilistas que cumpram os limites de velocidade, e que estejam atentos e cuidadosos na partilha da estrada com os restantes utilizadores da via, sobre quem deveria ter afinal a prioridade na mobilidade. O meio de transporte limpo, não poluente e seguro, que se sobreponha à continua prevalência da cultura do automóvel. Precisamos de bicicletas por todas as razões e pelo valor que elas trazem. Promover e incentivar a bicicleta como modo de transporte. Planear a cidade ao transporte suave.

Como ciclista, um dos meus objectivos ao pedalar é também demonstrar que a bicicleta é um dos modos mais eficazes e alternativos aos veículos a motor. Utilizar este meio fantástico de divulgação para promover a segurança e a cooperação entre os carros e as bicicletas. Devemos ter a noção de que a cooperação é necessária, e eu acredito que é possível. A partilha, segura e eficaz da estrada é muito mais provável de acontecer quando ambos seguem as mesmas regras da estrada. Não é suposto tentarem nos convencer serem os ciclistas o foco do perigo. Ouço e leio comentários que alguns dos ciclistas têm comportamentos incumpridores das regras. O que acontece muitas vezes é que esses ciclistas estão apenas a tentar salvar o coiro. Todos somos testemunhas diárias que alguns automobilistas são impacientes, agressivos e com pouca consideração para qualquer tipo que vá à sua frente e o abrande, o aborreça! Alguns, tendenciosos contra os ciclistas, são encorajados a acreditar que as bicicletas pertencem a uma terceira categoria nas ruas. Gabam-se com um sinistro orgulho que desrespeitam deliberadamente as regras e incentivam um comportamento irresponsável, infringindo a lei. Para eles as bicicletas são intrusas e não deveriam estar ali, a partilhar a rua. Se houvesse mais respeito, ao peão, ao ciclista e ao Código de Estrada, estou convencido que não haveriam estes acidentes.

Para nossa segurança, os ciclistas devem estar mais atentos, mais responsáveis e mais exigentes. Esta pode ser a única maneira de modificar a forma como nos vêm.
 
#15
Esta a decorrer em Malta um encontro a nivel europeu de Ministros com responsabilidade no setor de Transportes. Na declaração conjunta final comprometeram-se com o seguinte:

a) Dar continuidade e reforçar todas as medidas necessárias para reduzir em 50% o número de vítimas mortais em acidentes rodoviários, em 2020, tendo como referencial o ano de 2010;
c) Ter particular atenção à mobilidade em bicicleta ou a pé, promovendo a integração da temática nos planos de mobilidade, políticas e medidas de ação de segurança rodoviária e, sempre que possível, promover a construção de infraestruturas dedicadas;
e) Congregar os principais agentes do setor (stakeholders), comprometendo-os com o processo de planeamento setorial da mobilidade urbana, nomeadamente no que respeita à expansão e integração nas áreas de risco, das zonas de limite de velocidade reduzido, como as zonas de 30Km/h, especialmente em áreas com concentração de postos de emprego e intensa utilização do espaço público (pedonal e de recreio);

felizmente temos Europa para colocar alguma pressão no bom sentido...
 

Martins

Well-Known Member
#16
GMQ;292143Demónios e Santos há em todo o lado said:
Os demónios estão dos dois lados, só não podem é estar ao mesmo tempo porque são as mesmas pessoas e não dá para andar de carro e de bicicleta ao mesmo tempo.

O mesmo se passa com os Santos...


OU QUERES VER QUE SOU O ÚNICO QUE JÁ LEVOU TANGENTES DE CARROS QUE LEVAVAM UMA BICICLETA NO TEJADILHO?

Abraço
 

Knox

Active Member
#20
Vi á pouco essa notícia, este ano tem sido uma coisa para acidentes e mortes na estrada que é uma coisa parva.