Garmin EDGE 530/830 - Muro das Lamentações :)

Pois..até agora foi a única coisa que consegui.
Não deixa de ser estranho.
Que tal se porta o 530?

Chegaste a encontrar solução para esta questão?

Tenho um 800 há uns bons anos e está impecável, tive apenas de lhe colocar umas "dog ears" há uns meses. A bateria se não está como nova estará quase... No entanto, gostaria de ter disponíveis algumas funcionalidades que não existem no 800. Nomeadamente a opção de treino indoor e, por questões de segurança, a partilha em direto dos percursos que esteja a realizar.

Primeira dúvida:

Sendo utilizador de um 800 não irei estranhar a falta do ecrã sensível ao toque?
A diferença de preço e os relatos de mau funcionamento do 830 à chuva, levaram-me a olhar para o 530...

Segunda dúvida:

Tenho um pacote com 500 MB mensais de dados móveis que não gasto na totalidade. Não pretendo assinar um pacote mais caro apenas para utilizar o GPS.
Fazem ideia do consumo de dados móveis causado pela partilha em direto de um percurso?
Imagino que outras funcionalidades tais como os segmentos do Strava também consumam dados. É significativo? Alguém já mediu com algum rigor?

Obrigado.
 

jppina

Well-Known Member
Bem, eu já tive como tu um 800, belo GPS que era. Os modelos que se seguiram nunca me convenceram... o 800 faltava-lhe a conetividade, mas de resto dava 10 a zero ao 520, 810, 520 e 820 que tive depois. (por esta ordem!). Quando o ecrã do 820 avariou e foi para garantia experimentei o Wahoo Bolt, em boa hora o fiz! O Bolt também não tem ecrã tátil, não estranhei nada, é uma questão de hábito...

Relativamente às tuas dúvidas, eu também tinha 500mb de dados que não gastava e sempre que saía fazia live tracking, cerca de 3 a 4h durante a semana, e umas 8h ao fds. Os dados chegavam e sobravam, isso não gasta quase nada. Os segmentos ao vivo idem, usei durante o tempo que era grátis.
 

RTC

Moderador
Staff member
@Lux

Tal como o @jppina também tive vários modelos da Garmin. O 820 realmente, para mim, foi um desastre.
Este 530 representa um salto qualitativo em relação aos anteriores.
Estou muito satisfeito.
Posso destacar desde já aquilo que salta mais à vista: qualidade do écran e autonomia. Um espectáculo.
Até agora não tive nenhum fail ou bloqueado.
Aquilo que pessoalmente eu noto mais diferença é a falta de écran táctil. Ainda não me habituei e tendo em conta o tempo que já o usei se fosse agora teria comprado o 830. Ainda uso de vez em quando um 1000 e sei que isso também não ajuda.
Enquanto na bike de estrada ainda consigo disfarçar com o uso nas manetes (di2 + d-fly) no btt e outra bike sinto falta. Também acho que a posição do 2 botões de mudança de página não estão na melhor posição para quem é destro.
Mas no geral é um excelente gps. Muita função. Ainda nao consegui descobrir a solução para o alteração do eixo "y" mas para ser sincero também não tenho procurado muito dado que o gráfico apenas é mais usado/útil em tracks que carrego, especialmente os longos. Dá jeito.
 

bogas

Well-Known Member
Bom dia.
Nao sendo diretamente relacionado com o tópico, faço uma questão relativamente a ter sensor de velocidade ou não, uso o garmin 520.

Sempre usei sensor de velocidade e como ficou sem pilha retirei. O que notei foi o seguinte, se estiver a olhar para a velocidade de deslocação na mesma situação e terreno tanto conta a 35km/h como passa a 23.

É normal?
 

Pires

Well-Known Member
Bom dia.
Nao sendo diretamente relacionado com o tópico, faço uma questão relativamente a ter sensor de velocidade ou não, uso o garmin 520.

Sempre usei sensor de velocidade e como ficou sem pilha retirei. O que notei foi o seguinte, se estiver a olhar para a velocidade de deslocação na mesma situação e terreno tanto conta a 35km/h como passa a 23.

É normal?
Há mais de um ano que não uso o sensor de velocidade no meu 520 e nunca tive esse problema/situação, a única coisa que por vezes não está certa é a % de inclinação, que em dias que faço btt e está meio encoberto fica parvo.
 

edununo

Well-Known Member
Bom dia.
Nao sendo diretamente relacionado com o tópico, faço uma questão relativamente a ter sensor de velocidade ou não, uso o garmin 520.

Sempre usei sensor de velocidade e como ficou sem pilha retirei. O que notei foi o seguinte, se estiver a olhar para a velocidade de deslocação na mesma situação e terreno tanto conta a 35km/h como passa a 23.

É normal?
É normal existir alguma variação quando não se usa sensor.
Eu uso o 520 na de estrada com sensor de velocidade e na de Btt sem sensor. Na de Btt a velocidade instantânea não é tão certa mas no final as médias batem certo.
 

edununo

Well-Known Member
Bem, eu já tive como tu um 800, belo GPS que era. Os modelos que se seguiram nunca me convenceram... o 800 faltava-lhe a conetividade, mas de resto dava 10 a zero ao 520, 810, 520 e 820 que tive depois. (por esta ordem!). Quando o ecrã do 820 avariou e foi para garantia experimentei o Wahoo Bolt, em boa hora o fiz! O Bolt também não tem ecrã tátil, não estranhei nada, é uma questão de hábito...

Relativamente às tuas dúvidas, eu também tinha 500mb de dados que não gastava e sempre que saía fazia live tracking, cerca de 3 a 4h durante a semana, e umas 8h ao fds. Os dados chegavam e sobravam, isso não gasta quase nada. Os segmentos ao vivo idem, usei durante o tempo que era grátis.
É engraçado como cada um tem as suas opiniões e estas podem ser tão diferentes.
Eu já tive um 500, depois um 800 e por fim o 520. Acho o 520 muito superior ao 800. Para seguir tracks de btt a maior resolução do ecrã do 520 ajuda imenso. No 800 a informação fica muito confusa. Durante o período de garantia, o meu 800 partiu uma das "orelhas" de fixação. Recebi uma unidade nova e foi logo para o OLX. Comprei o 520 e mantenho-o até hoje.
 

edununo

Well-Known Member
Isso o meu é igual, um pouco de nevoeiro e o acumulado já não conta
Com nevoeiro nunca notei nada de especial. Com chuva o sensor barométrico passa-se. Penso que os furinhos na zona do sensor ficam obstruídos e impedem a correcta medição. Parece ser algo transversal à Garmim, pois acontece no 520 e nos 500 e 800 que já tive.
 

jppina

Well-Known Member
O que encontraste no Bolt que não tinhas no Edge?
Praticamente nada, o que um faz o outro também, com pequenas nuances. A única coisa que tinha a mais, na altura, era o importar automático para o GPS das rotas criadas no Strava ou RideWithGPS. Na altura porque desde ontem que a Garmin também tem (com Strava e Komoot).

O Garmin até tinha mais funções, como o detetor de acidentes e a navegação turn by turn para uma morada (como nos carros), no Bolt também podes navegar para uma morada mas traça-te um percurso para seguir no ecrã). Para quem faz treinos estruturados o Garmin também tem vantagem pois uma vez carregados os treinos para lá, lá ficam. No Bolt (nos Wahoo's) só com conta paga do Trainingpeaks se consegue algo do género. Com conta grátis só se consegue criar um treino de véspera que é automaticamente carregado para o GPS, mas depois desaparece, é preciso voltar a criar. Tem uma meia dúzia de treinos da SKY, melhor, INEOS, que estão sempre disponíveis, mas é pouco.

Agora o que gostei foi a resolução e contraste do ecrã, apesar de ser monocromático vê-se perfeitamente em qualquer situação de luminosidade. Depois ao seguir um track (BTT sobretudo) a facilidade de leitura do mesmo bem como a rapidez na atualização do ecrã (o 820 era muito lento), a forma como é apresentado que faz que nunca te enganas (nos garmin se o percurso se cruza em determinado sítio não sabes para onde ir...). Finalmente a duração da bateria, das 15h anunciadas tens mesmo 15h, com tudo ligado, telemóvel, fita cardíaca, sensores de velocidade e cadência, powermeter.

Resumindo, para a minha utilização, o Bolt era bem superior ao Garmin pela sua rapidez, pela qualidade de leitura de ecrã e autonomia.

Agora, como disse o RTC, e BEM, estes novos 530 e 830 já vieram bem melhores. Não tive ainda oportunidade de utilizar um, mas houve de facto melhoria na autonomia e velocidade. O ecrã gostava de ver ao vivo e em várias condições para ter uma opinião mais assertiva, o método de seguir um track creio que deve continuar igual, o que é pena...

Tudo depende da utilização que vais fazer e o que valorizas mais, mas neste momento dependendo do preço a que se pode comprar o 530, pode ser melhor em relação ao Bolt. Os Wahoo's são como os artigos Apple, não se encontram abaixo do PVP recomendado... e mesmo nos sites que dão desconto de fidelização, são excluídos...

Ah, ainda o tátil e butões. De facto o 520, 520+ e agora o 530 são um pesadelo de configuração. Lembro-me perfeitamente de ter passado cerca de 2h com o 520 para o configurar a meu gosto, para ter os vários ecrãs com os campos que queria... É algo que normalmente só se faz uma vez, mas é um pesadelo. Em utilização depois é um mal menor. Os Wahoo's nisso dão 10 a 0 à Garmin, até ao táteis. É tudo feito no telemóvel com a aplicação. Simples, intuitivo e rápido, é excelente. Mas lá está, só se faz uma vez... normalmente.

Em relação ao eixo X/y do gráfico de altimetria eu era um fã dessa função no 800. Sempre que fazia um percurso de BTT alterava a gosto. Também dava para fazer scroll no gráfico para ver o desnível que se aproximava. Um must. Já não me lembro se ainda o conseguia fazer com o 810 (tive-o pouco tempo) mas no 820, que também era tátil, nem alterar nem fazer scroll, uma miséria! Não sei se o 830 voltou a permitir fazer, o 530 por não ser tátil seguramente que não, deve ser por isso que o RTC não descobre como fazer, não deve ser possível...
 

jppina

Well-Known Member
É engraçado como cada um tem as suas opiniões e estas podem ser tão diferentes.
Eu já tive um 500, depois um 800 e por fim o 520. Acho o 520 muito superior ao 800. Para seguir tracks de btt a maior resolução do ecrã do 520 ajuda imenso. No 800 a informação fica muito confusa. Durante o período de garantia, o meu 800 partiu uma das "orelhas" de fixação. Recebi uma unidade nova e foi logo para o OLX. Comprei o 520 e mantenho-o até hoje.
De facto, todos diferentes e todos iguais ;)

Quando comprei o 520 a primeira coisa que fiz foi seguir um trackde btt conhecido nele e comparar com o 800. 520 à esquerda e 800 a direita, no guiador. Que pesadelo o 520, para além de mais lento do que o 800, quando saí propositadamente do track para testar a reação do aviso de fora de rumo (que surgiu uns 2 segundos depois do 800) demorou mais de 1 minuto para recalcular a rota, sem que pudesse sequer ver o mapa durante esse tempo (o ecrã ficava todo preenchido com o "a recalcular rota" - ou algo do género, não me lembro ao certo.). Em termos visuais não notei melhorias significativas do ecrã do 520 para o 800, para além de não permitir fazer o que já disse acima, o scroll da altimetria. Foi por isso que o 520 se foi, e o 800 ficou... sendo depois substituído pelo 810.