BTT recente Vs Estrada Antiga

#1
Viva,

tenho uma BTT de 27,5 que uso maioritariamente em estrada, com médias na casa dos 20/21 km/hora. Para tentar acelerar o ritmo na estrada, já tenho uns pneus slick, e até estava a pensar em investir numas rodas de estrada para andar mais rápido, e não ter de andar a trocar de pneus.

E entretanto lembrei-me que tenho na terra dos meus pais, uma fantástica órbita com perto de 30 anos...

https://cld.pt/dl/download/8629b33c-d596-435b-acfe-9c17725e0ba4/FB_IMG_1547127070230.jpg

Tem 2 x 5 mudanças. Sempre foi uma bicicleta de férias, e quando tirei a carta, passei muitos e muitos anos sem andar com ela. Só agora há meia duzia de anos comecei de novo a andar com ela nas curtas férias, sem grandes problemas. É bem capaz de ter menos de 1500km. Penso que o estado geral não é mau, eventualmente os calços ressequidos, os pneus já não são os de origem.

Como andei pouco com ela, e sem ser nos mesmos percursos que ando com a BTT, não tenho muita noção da diferença de andamento, embora dê para perceber que nas subidas é mais duro... não tem mudanças tão leves como na BTT. Acham que apesar da idade ainda poderá ter mais andamento que a BTT 27,5 com os pneus slicks, ou mais vale deixá-la reservada para o museu?

Obg.
 
#2
tem mais andamento do que a btt. Eu tenho uma peugeot com 25 anos e é tão rápida como a minha nova. Agora, essas bicicletas foram feitas com uma ideia diferente do que se faz agora: A subir aquilo é puro sofrimento com muito baixa cadencia. Por tanto:

- Se não gostas de sofrer, para zonas montanhosas é evitar ir com a velhinha. Mas também é um desafio engraçado. Envia é subidas com mais de 7-10%.
- para todas as outras é um espectáculo. Além disso tem muita pinta :)

para melhorar o conforto: O banco não deve estar a apontar para o céu. Deves ter as guias horizontais. Depois ajusta ligeiramente para não sentir muita pressão à frente nem que escorregas para a frente.
- Calços novos, Rodas novas. Na minha consegui pôr umas continental classic 25mm. Muito confortáveis mas cuidado que podem não dar na tua. Vê numa loja o que se pode pôr se 20, 23 ou 25. Não poupes nas rodas por mais 10euros tens mais confiança e conforto.

Cuidado a travar. :D
 
#3
O que o Jorge diz é verdade. Aquilo é tudo menos confortável.
Mas, em relação à cadência baixa, podes mudar isso. Eu tenho uma desse género mas mudei a transmissão toda. Não há subida nenhuma que deixe de fazer por causa da bicicleta. Se deixar de fazer é das pernas. Tenho mudanças bastantes leves e a cadência é "a que eu quiser".

Agora, será que vale a pena tanta alteração? Isso já é contigo. Eu não gastei muito € porque comprei material fraco. Era só para ir para o trabalho. Entretanto o uso é diferente mas o material, bem estimado, lá se aguenta nas voltas maiores.

Não se vê muito bem porque está ao contrário mas dá para perceber que tenho ali escolha de mudanças, ao contrário de ti que é tudo muito pesado.

 
#4
O homem anda a ver se não gasta dinheiro numas rodas para a de btt e depois fala-se em fazer alterações na velha de estrada
Vai dar uma volta com ela pelos sitos que gostas e depois logo vês se serve para o que queres
Eu tenho uma nova antiga, mas não ficou barato fazer algo em condições
 
#5
O homem anda a ver se não gasta dinheiro numas rodas para a de btt e depois fala-se em fazer alterações na velha de estrada

Era mesmo nisso que estava a pensar :)

Calços, eventualmente pneus, já estava a contar, mais do que isso, é capaz de já não justificar o investimento. Só ainda não a experimentei porque não a tenho cá... tenho de esperar que alguém a traga... e estava a tentar perceber se justificava o trabalho e a espera.

Obg.
 
#6
Bela máquina.

Dá perfeitamente para tirar ainda muito proveito dessa beldade, basta uma visita a um bom mecânico para lhe trocar as borrachas, lubrificar a engrenagens, afinar as cablagens e tens ai uma bicla para muitos e bons quilómetros. Não há nada melhor que o aço.
 
#7
O homem anda a ver se não gasta dinheiro numas rodas para a de btt e depois fala-se em fazer alterações na velha de estrada
Vai dar uma volta com ela pelos sitos que gostas e depois logo vês se serve para o que queres
Eu tenho uma nova antiga, mas não ficou barato fazer algo em condições
Preferia dar 100€ em alterações na de estrada do que gastar 20€ numas rodas de "estrada" para a BTT.
Só quis dizer que é possível andar com ela. Mas sem alterações é muito puxado. Já com alterações é um bocado :oops:
 
#9
Mas aqui o que interessa é o que o user pretende gastar, eu acho que sim, que vale a pena gastar algum na velhinha, mas a ideia que o pessoal do BTT tem das bicicletas de estrada é um pouco diferente da nossa
Todos acham que ela anda muito, mas quando eu empresto a minha, dizem sempre que custa mais, agora imaginem que o carreto maior da velha tem 21 dentes e a frente 40 é a coisa fica feia
 
#10
Eu não faço o nº de kms que voçês fazem, e de certeza que não ando em paredes como voçês. Até tento "afinar" os meus percursos para não passar em subidas muito inclinadas. Não me importo de subidas longas, mas preferencialmente menos inclinadas.

Da pouca experiência que tenho com ela nos últimos anos, quando comecei a dar-lhe uso novamente na casa dos 30/35Km, fiquei logo com a ideia que precisa realmente de mais pernas do que a de BTT... agoro não consegui perceber se ia mais depressa ou devagar do que com a BTT.

Este fim de semana fui da Amadora à praia das maças (60km) com a BTT equipada com os slicks, e acho que foi tranquilo, fiz média de 21km/h (o que para mim é muito bom), e nem fui muito depressa nas descidas. Não cheguei sequer a passar para o prato mais pequeno. Da sensação que tenho, acho que conseguia fazer com a velhinha, mas não sei se as subidas não iam ser ainda mais lentas.
 
#11
De qualquer forma se experimentares vais gostar de sentir como se andava antigamente. E se fazes voltas de 60km tens pernas para ela.
O truque nas subidas é força e muita paciência. E levantar o rabinho do selim, mas sempre com muita calma.

Com a velhinha (não sei os andamentos que tem) deves ser mais lento a descer (trava pior e sabe-se-lá se as rodas estão em condições para 50km/h) e mais rápido a subir (o mínimo neste andamentos 42frente-21atrás é 15-17km/h).
 

cenazia

Well-Known Member
#12
em principio sem muito investimento consegues colocar uns andamentos "decentes" nisso, 2x5 as mudanças não devem ser indexadas e deve ter freewheel em vez de cassete, podes por um freewheel de 7v com 28d que quase de certeza o desviador aguenta mas podes ter de colocar um eixo mais largo. Se à frente tiver 42 na mais pequena pede a uma alma caridosa que dê uma de 39 que tenha para lá encostada

as freewheel de 14-28 custam 12€ na decathlon, 5v 6v e 7v

se não quiseres chatear-te com a questão do eixo compra a de 5v. mais a corrente até 8v que lá está à venda por 10€

pneus compra os maiores que servirem
 
#13
Só dicas espetaculares .

A ver se percebo, a minha BTT é 3x9, pratos de 22/44 e cassete 11/34. O que estão a querer dizer é que o prato menor deve ter uns 40 dentes e o carreto maior uns 20, logo as mudanças mais leves na de estrada devem andar para aí nas intermédias da BTT ... Qualquer coisa como 32-34? Será isto?

Por isso o objetivo será colocar um carreto com mais dentes e assim conseguir ter umas mudanças mais leves.

se não quiseres chatear-te com a questão do eixo compra a de 5v. mais a corrente até 8v que lá está à venda por 10€

pneus compra os maiores que servirem
Agora questões básicas, a sugestão da corrente é porque se tem de trocar de corrente com um novo carreto, ou porque a corrente já está velhinha?

O pneu que tem são 700x25... O que queres dizer com os maiores que servirem?


Já agora e só por curiosidade, a bicicleta de estrada mais barata da Decathlon pesa pouco mais de 11kg, uma destas velhinhas de aço, é coisa para pesar quanto 13? 14?

Obg.
 
#14
Esquece o peso, nesse caso tem pouca importância, não vais andar a subir a serra da estrela
A nossa questão em relação ao numero de dentes, tem a ver com nos tempos mais antigos, as bicicletas terem uma relação totalmente diferente do que se usa hoje, o grupo que comprei para a minha antiga trazia 52x42, 11x21
Só mesmo contando os dentes se pode ter a certeza de quantos traz ou procurando a informação nos pratos e carreto

Mas eu era capaz de primeiro experimentar a dar uma volta pela zona que iria andar, para ter uma ideia do que eu aguentaria com essa bicicleta, se ela estiver minimamente conservada não seria grande problema em dar um volta pela zona, caso os pneus estejam maus é preciso ter algum cuidado ou até trocar
 
#15
Da última vez que andei com ela no verão, dei duas voltas, uns 60km no total e não notei grandes problemas nos pneus nem travões, embora se note que estes já estão meio ressequidos. As mudanças é que podiam estar mais afinadas.

Mas acho que vou aguentar e ir trocando os pneus da BTT... Daqui a 3 semanas sou capaz de já a ter cá, dou uma volta pelos meus percursos normais, e fico com um termo de comparação em relação á BTT.