Alternativas SPD para uso em estrada

#1
Depois de ter experimentado SPD-SL durante uns meses, vindo de anos a usar SPD, ainda não estou completamente treinado no encaixe (por norma também só saio 1 vez por semana) mas uma coisa que é óbvia é que o encaixe é mais difícil que nos meus antigos SPD dual-sided. Também o andar nas cleats, embora tolerável em seco, me deixa apreensivo sobre andar nas esplanadas dos cafés com piso em mármore, no tempo de chuva que se aproxima...

Na minha opinião SPD-SL é simplesmente o sistema mais eficaz, com melhor transmissão da potência e mais confortável. Também se nota muito bem a menor massa rotacional, se somarmos o peso dos pedais e sapatos (na maior parte dos casos mais pesados), em SPD isso também não ajuda.

A minha intenção com este tópico é discutir alternativas e experiências de SPD em estrada. Há muita gente que continua a preferir SPD, por um motivo ou outro, e quem já passou por isso sabe que as escolhas são por vezes limitadas, principalmente a nível de calçado. Para estrada, e eventualmente andar nos cafés, calçadas, descer escadas, algum empedrado, não é necessário um sapato com uma sola muito agressiva. Há quem tenha adoptado SPD com solas em carbono super rigidas (nunca experimentei) mas nesse caso a capacidade de andar com algum conforto fica prejudicada (o sapato não dobra nada para facilitar o andar).

Da minha parte, andei anos com Shimano M530, que têm uma plataforma à volta do mecanismo SPD, o que facilita bastante a encontrar o pedal e a dar umas pedaladas sem estar encaixado. Foram recomendados na altura pela loja, e ao final deste tempo todo realmente foram uma boa opção. Mas são bastante pesados (450g). A nível de sapatos, uns Specialized MTB Sport com uma sola que permite andar em qualquer tipo de superficie, e baratos, mas que também são bastante pesados.

Creio estar prestes a voltar a SPD (ainda estou a amadurecer a ideia, vindo o tempo de chuva...) mas gostaria de ouvir opiniões, experiências, e coisas que tenham experimentado recentemente.
 
#4
Já usei pedais de estrada - look keo - e ao fim de algum tempo voltei aos SPD de dois lados. Pelas razões que já referiste, a nível dos sapatos e da facilidade de encaixe dos dois lados em vez de um só.
Não precisas realmente de plataforma à volta do pedal para o encontrar, e com sapatos bons provavelmente não notas a falta da maior superfície de apoio.
Assumindo que vais substituir os M530 por algo mais leve, os SPD "normais" mais baratos pesam 380 gr, os XT m8000 custam o dobro e pesam cerca de 340 gr. Eu uso os Wellgo W01 que pesam 300 gr, e custaram 30 €. Ainda não os tenho à muito tempo, mas até agora nada a apontar.
Existe muita concorrência à Shimano com o sistema SPD, caso desejes uma alternativa.
 

pratoni

Well-Known Member
#6
Tenho curiosidade em ambos os modelos, mas depois de experimentar single-sided com SPD-SL estou com saudades de pedais double-sided. Usas algum desses modelos?
Sim tenho uns a520. Adaptei-me bem, tem o mesmo inconveniente dos spd-sl de ser só de um lado mas a vantagem da plataforma mais larga também semelhante aos spd-sl, mas não tão grande.

A plataforma se tiveres uns sapatos com uma sola bem rigida talvez seja secundária, mas nuns sapatos com a sola mais flexível penso que se nota a diferença para uns spd de btt sem plataforma.

Se realmente queres os double sided não é o modelo para ti, mas sinceramente é apenas uma questão de hábito, tal como aprender a encaixar e desencaixar...
 
#9
Esses têm fama de os cleats serem ainda piores para andar a pé...
Se te estás a referir aos speedplay só se for em relação a modelos anteriores,actualmente vêm com cleats que levam uma cobertura de borracha que os torna mais baixos,mais confortaveis e seguros pois não escorregam tanto, e acredita já fiz boas caminhadas com eles :p
Ah e se queres algo muito facil de tirar e por tens estes que foi o que comprei para a esposa, e mais ainda os speedplay são amigos dos joelhos pois têm float regulavel :
http://www.speedplay.com/index.cfm?fuseaction=home.lightaction
 

nmt

Active Member
#10
Uso Shimano 520 na bike de XC e 530 na de trail… na de estrada uso pedais Look Keo. Todos os inconvenientes referidos são relativos a andar fora da bike ou a arrancar. A questão da dificuldade no encaixe existe, mas quantas vezes por volta isso se coloca? 3 ou 4 vezes? Uma paragem a meio da volta para reabastecimento? Não justifica os inconvenientes… Como se costuma dizer, cada macaco no seu galho.
 

Nuno

Active Member
#11
Concordo com a teoria do cada macaco no seu galho. No BTT uso shimano de btt 520 ou 540 e na estrada uso shimano de estrada tenho uns 105 e uns Durace, aos look de estrada nunca me adptei mas relativamente aos shimano de estrada o encaixar e desencaixar é apenas uma questao de pratica, inicialmente e ate ganhares o jeito é um pouco mais dificil que os de BTT, mas ao fim de algum tempo é absolutamente a mesma coisa. Quanto ao andar com cleats de estrada é de facto dificil, mas quando saio de bike de estrada nao é para andar a pe e nao sao 10 metros para ir ao cafe que justificam usar pedais e sapatos de BTT na estrada, pois em termos de superficie de apoio, peso e conforto os de estrada tem sempre vantagem. A unica razao que vejo para usar sapatos e pedais de BTT na estrada é se ja os tiveres e nao quiseres estar a comprar um 2° par, mas acredita que a medio prazo compensam esse custo.
 
#12
cleats que levam uma cobertura de borracha que os torna mais baixos,mais confortaveis e seguros pois não escorregam tanto, e acredita já fiz boas caminhadas com eles :p
E quanto à queixa que leio mais vezes sobre eles, de o cleat ficar com alguma sujidade, quando caminhas com eles, que impede o encaixe, não é algo que se possa resolver com umas das chaves mais pequenas de um multiferramentas?
 
#14
E quanto à queixa que leio mais vezes sobre eles, de o cleat ficar com alguma sujidade, quando caminhas com eles, que impede o encaixe, não é algo que se possa resolver com umas das chaves mais pequenas de um multiferramentas?
Sim ganham alguma sujidade,mas é pouco provavel andar com eles na lama ou terra,sinceramente nunca tive problemas no encaixe,acho que se ficarem com mais detritos nada que uma sacudidela ou passalos por agua (uma borrifadela do bidom) resolve.
Mas sim esse julgo ser o que dá mais trabalho neste sistema,é a manutenção,precisam ser limpos e lubrificados regularmente,mas isso faço sempre quando limpo a bike.
 
#16
A questão da dificuldade no encaixe existe, mas quantas vezes por volta isso se coloca? 3 ou 4 vezes? Uma paragem a meio da volta para reabastecimento? Não justifica os inconvenientes… Como se costuma dizer, cada macaco no seu galho.
A questão é que basta estarmos numa única situação complicada para nos questionarmos sobre o lado prático. Já me aconteceu ter de atravessar uma estrada por uma passadeira, estando a chover (o resto do grupo fez isto indo à minha frente, usam SPD em estrada) levava a bicicleta pela mão e não sentia aderência absolutamente nenhuma. Estava mesmo a ver quando ia parar ao chão, não estava trânsito nenhum mas nunca sabia se ia aparecer um carro... Felizmente correu bem.

Sair de casa e ter de passar por 2 ou 3 cruzamentos não me deixa muito à vontade. Chegar ao café no Domingo e ver uma rampa inclinada em mármore molhado e levar a bike pela mão...

O que quero dizer é que podem não ser muitas as vezes, mas não deixa de ter a sua importância.
 
#17
Eu passei a usar pedais e sapatos de btt se a volta for estranha, tipo o dia todo, meter almoço, visitas, turismo
Caso o projeto da turística for para a frente é os pedais que vai levar, btt
Agora para os treinos, provas, voltas com o pessoal e que o objectivo é pedalar, são os de estrada sem dúvida alguma
À 6 semanas fracturei o cocsis a descer um degrau, pé escorregou e pimba, sim, com sapato de estrada
 

nmt

Active Member
#18
A questão é que basta estarmos numa única situação complicada para nos questionarmos sobre o lado prático. Já me aconteceu ter de atravessar uma estrada por uma passadeira, estando a chover (o resto do grupo fez isto indo à minha frente, usam SPD em estrada) levava a bicicleta pela mão e não sentia aderência absolutamente nenhuma. Estava mesmo a ver quando ia parar ao chão, não estava trânsito nenhum mas nunca sabia se ia aparecer um carro... Felizmente correu bem.

Sair de casa e ter de passar por 2 ou 3 cruzamentos não me deixa muito à vontade. Chegar ao café no Domingo e ver uma rampa inclinada em mármore molhado e levar a bike pela mão...

O que quero dizer é que podem não ser muitas as vezes, mas não deixa de ter a sua importância.
O risco existe, mas nunca me senti assim tão em risco...
 
#19
Deixo aqui a minha experiência nesta matéria:

Durante muitos anos (vou fazer 48 daqui a uns meses), corri. Quando era jovem fui federado e corria 10.000 metros. Aos trintas passei a fazer as maratonas de Lx. Toda a história das minhas corridas conduziram os meus joelhos à desgraça, facto amplificado por um acidente de mota há uns anos.

Depois de estar parado durante muito tempo devido a lesão grave, que me levou a inúmeras ressonâncias, fisioterapia e o "diabo a 7", passei da corrida ao ciclismo (porque não é um desporto de impacto - logo menos grave para os meus joelhos).

Todavia, a questão sempre se prendeu com dores nos meus joelhos, o que me levou a dois Bike Fits (o primeiro uma desgraça - realizado por um "cromo" bastante conhecido), o segundo um trabalho perfeito, realizado por um grande profissional chamado António Facão (que eu muito recomendo).

Mesmo assim, o problema dos joelhos sempre persistiu, o que me levou a procurar alternativas, a mais óbvia das quais, pedais SpeedPlay, mas entretanto comecei a ler que as proteções de borracha estão constantemente a sair e, sem elas, os cleats SpeedPlay ainda escorregam mais que os SPD-SL, o que me conduziu aos pedais de montanha com a maior flutuação (muito importante para evitar lesões nos joelhos), no mercado, que são os Crank Brothers.

Resumindo. Neste momento pedalo com Crank Brothers Egg Beaters 3 na minha bicicleta de estrada e jamais irei voltar aos SPD-SL. Não só me permitem entrar em 4 lados, como se minimizaram os problemas dos joelhos (flutuação de 20º), assim como me permitiram comprar sapatos com os quais posso andar sem problemas em qualquer tipo de piso e condições, isto tudo nuns pedais que pesam 280 gr.

Muitas vezes oiço comentários que a transferência da potência aos pedais não é a mesma por comparação com SPD-SL. Tretas! Com os cleats bem montados, a superfície de contacto é perfeita, e com uns bons sapatos (uso Sidi Dragon 4), a sola é tão rígida que não existem problemas dessa natureza. Posso dizê-lo com toda a certeza, já que uso potenciómetro e nunca percebi diferenças de potência nas minhas voltas depois da troca de pedais.
 

NULL

Well-Known Member
#20
Deixo aqui a minha experiência nesta matéria:

Durante muitos anos (vou fazer 48 daqui a uns meses), corri. Quando era jovem fui federado e corria 10.000 metros. Aos trintas passei a fazer as maratonas de Lx. Toda a história das minhas corridas conduziram os meus joelhos à desgraça, facto amplificado por um acidente de mota há uns anos.

Depois de estar parado durante muito tempo devido a lesão grave, que me levou a inúmeras ressonâncias, fisioterapia e o "diabo a 7", passei da corrida ao ciclismo (porque não é um desporto de impacto - logo menos grave para os meus joelhos).

Todavia, a questão sempre se prendeu com dores nos meus joelhos, o que me levou a dois Bike Fits (o primeiro uma desgraça - realizado por um "cromo" bastante conhecido), o segundo um trabalho perfeito, realizado por um grande profissional chamado António Facão (que eu muito recomendo).

Mesmo assim, o problema dos joelhos sempre persistiu, o que me levou a procurar alternativas, a mais óbvia das quais, pedais SpeedPlay, mas entretanto comecei a ler que as proteções de borracha estão constantemente a sair e, sem elas, os cleats SpeedPlay ainda escorregam mais que os SPD-SL, o que me conduziu aos pedais de montanha com a maior flutuação (muito importante para evitar lesões nos joelhos), no mercado, que são os Crank Brothers.

Resumindo. Neste momento pedalo com Crank Brothers Egg Beaters 3 na minha bicicleta de estrada e jamais irei voltar aos SPD-SL. Não só me permitem entrar em 4 lados, como se minimizaram os problemas dos joelhos (flutuação de 20º), assim como me permitiram comprar sapatos com os quais posso andar sem problemas em qualquer tipo de piso e condições, isto tudo nuns pedais que pesam 280 gr.

Muitas vezes oiço comentários que a transferência da potência aos pedais não é a mesma por comparação com SPD-SL. Tretas! Com os cleats bem montados, a superfície de contacto é perfeita, e com uns bons sapatos (uso Sidi Dragon 4), a sola é tão rígida que não existem problemas dessa natureza. Posso dizê-lo com toda a certeza, já que uso potenciómetro e nunca percebi diferenças de potência nas minhas voltas depois da troca de pedais.
Bom feedback! Já agora, e por curiosidade, que problemas são esses nos joelhos?